Sobre hambúrgueres, cervejas e harmonização

kwai-hamb-harmonizar-cervejas

kwai-hamburguer-harmonizacao-cervejas

Comer e beber estão entre as melhores coisas da vida, mas taí uma coisa que estou aprendendo a fazer só depois dos 40: harmonizar alimentos e bebidas. Admiro quem sabe fazer. Aliás, não é coisa que é feita só com vinhos, sabia? Pode ser também com uísques, espumantes, cafés e cervejas, por exemplo. E foi para uma harmonização de cervejas com hambúrgueres que fui convidada a ir dia desses, na Kwai hamburgueria, que recentemente  ampliou a sua carta de cervejas especiais, e ganhei uma verdadeira aula!

De início parece uma bobagem, mas é algo químico mesmo, sabe? Cheira a cerveja e é uma coisa, morde o sanduíche e cheira a cerveja e já se transforma, morde o sanduíche e toma um gole da cerveja e tudo muda outra vez! O sabor que era um pouco picante fica forte ou fica mais doce…impressionante. Tudo se transforma completamente conforme passa pelas papilas gustativas e o modo como isso é formado é que torna esse processo genial!

Na noite de harmonizações da Kwai eu tomei as cervejas Ashby Hops Clara, acompanhada do BurgueGiana – uma espécie de hambúrguer a parmegiana: a Heilighe APA, que tem sabor cítrico, e acmpanhou o Citra Burger, que tem, na combinação, um incrível barbecue de tamarindo com lúpulo citra e, ainda, a Backer Brown Ale, com o Turbacon, que leva, obviamente, bacon e queijo gouda. Bem, já fica aí a sugestão pra deixa o domingo bem gostoso! Pra mima, a harmonização de cervejas contou como uma nova experiência #depoisdos40. 

Hambúrguer de gente grande

Dia desses fui convidada para visitar a Kwai Burger, uma casa daqui do Recife especializada em hambúrguer artesanal. Sério, tudo muito gostoso, de primeira qualidade e me veio a ideia de fazer um post com o nome de “se é pra comer hambúrguer, escolha um que valha a pena”. Até que o dono da hamburgueria, o …., me veio com uma frase: “gente mais velha tem preconceito com hambúrguer, com sanduíche de forma geral. Acha que é coisa de adolescente”.

Kwai burguer hamburguer hamburger gourmet artesanal

Bem, é o dono da casa e está por volta dos 40 anos de idade, então falou com propriedade. Ele me disse que é mais comum ter pessoas mais jovens por lá, que os mais “adultos” tem alguma resistência, porque acham que hambúrguer não pode ser comido “a título” de almoço ou jantar e, ainda, que seria uma “junkie food”.

Acho que é assim pra mim. É raro comer hambúrguer como almoço, mas, veja bem, é porque  se for pensar nisso, só vou me ligar nos fast foods, sem um “plus”, além de encher a barriga e ter um sabor bonzinho. Mas a coisa muda completamente de figura se você pensar em um prato elaborado com carnes selecionadas, em pão de primeira, com saladas deliciosas, molhos caprichados e apresentação bonita a coisa muda de figura! Afinal, tem proteína, carboidrato, verdes, bons ingredientes – um prato completo, feito da melhor forma, com sabor e – sim! – saúde. Hambúrguer de gente grande, de responsa!

Na foto acima tem hambúrguer feito com carne de cordeiro e hortelã, tem queijo gruyere, tem o disquinho feito com cortes nobres e, creia, até uma versão vegetariana – e deliciosa! Bom, se é para ter o sanduíche como almoço ou jantar, a dica é procurar uma boa casa que faça o prato de maneira artesanal, com bom sabor, sem abrir mão da qualidade da refeição. Essa é a dica!

Sobre comer bem e ter equilíbrio

hamburger 481 pobre juan Aquilo do metabolismo dar uma queda depois dos 40 anos, sabe? É tudo verdade. Bem, senti isso aos 30, 35 e bem mais forte depois que “virei quarentona”. Aí é preciso mesmo aumentar os cuidados com a saúde, ser mais disciplinado com (ou começar a fazer) exercícios e, claro, se alimentar bem. Diminui gordura e açúcar aqui, aumentam as saladas e carnes magras…isso que todo mundo sabe.

Mas uma coisa aprendi nessas quatro décadas: o estresse é pior do que todos esses maus hábitos juntos. Então tenho uma sugestão: balancear é mesmo a melhor ideia. Tudo pra dizer que esta semana fui ao restaurante Pobre Juan e comi o hambúrguer mais gostoso da vida, o 481. Tem 250g de carnes nobres em forma de hambúrguer, queijo gruyere, emulsão de chorizo ibérico, pão e rúcula. Maravilhoso! Muita coisa? Pois ainda completei com churros e doce de leite. Mas tem um detalhe: meu café da manhã, almoço e lanche havia sido bem levinhos naquele dia, assim como todas as refeições do dia seguinte. Dizer não ao convite para ir ao restaurante, comer bem e encontrar gente legal me deixaria chateada e seria péssimo para a saúde. Preferi equilibrar o que comia e ficar bem.

Equilíbrio, até no que se come, é importante para ser feliz, concordam?