100 Anos e Correndo

Foto: Purpose2Play

Foto: Purpose2Play

Ida Keeling é americana do Bronx (NY) e é corredora. Mais que isso: ela é campeã norte-americana nos 60 metros rasos, entre mulheres de 95 a 99 anos. Ida tem 100 anos! Ela está prestes a participar de uma competição de 100 metros rasos e espera, assim, espera estabelecer um novo recorde para mulheres acima dos 100 anos. Nem sempre ela competiu – afinal, quando criança, não havia muito espaço para meninas negras praticarem esportes.

Aliás, ela não teve uma vida fácil: passou, junto com a família, pela Grande Depressão americana, já adulta perdeu o marido ainda bem jovem, criou os filhos sozinha, foi ativista, perdeu dois filhos, enfim, passou por barras bem pesadas. Quando menina ela já corria, mas só foi voltar a fazer isso e levar mais a sério quando já estava com mais de 60 anos de idade.

Ela corre, é campeã e não pretende parar tão cedo! Daqui dos meus humildes 42 anos quase sedentários (especialmente se comparar com a vida de Ida) só penso que ainda está em tempo de começar a minha vida de atleta, mas que eu deveria começar isso “correndo”! Olha aí o vídeo que o NY Times fez com ela e vê se você não sente o mesmo!

Minha primeira corrida (ou: menos um item na lista)

corrida cesar, corrida das estações

Mais um item que recebe um “ok” na minha lista de coisas a fazer depois dos 40 anos de idade (quem não leu o post a este respeito, leia): participei da primeira corrida da minha vida! Foi a Corrida e Caminhada C.E.S.A.R (a empresa em que trabalho, que pagou a inscrição para os que participaram), que aconteceu dentro de outra prova, esta já consagrada no calendário de atletas, a Corrida das Estações. Uma prova dentro da outra.

corrida cesar, corrida das estações

A medalha da Corrida das Estações/Primavera

Não sou atleta, não treinei, faz tempo que parei de praticar minhas caminhadas e precisei (por coisas de trabalho) faltar a aula de ioga da quinta-feira passada. Ou seja: sedentarismo puro. Mas fui assim mesmo, vi que muita gente aqui do trabalho estava mais ou menos na mesma situação e encarei. Só coloquei em mente a minha meta: ir até o fim da corrida, sem desistir no meio. Já caminhei cinco quilômetros outras vezes, dando voltas na pracinha, pela caminhada ou andando em centros de cidade (principalmente quando estava turistando por outras paisagens), mas nessa prova era diferente! Então montei meu próprio esquema, com corridinha-caminhada lenta – caminhada pesada – corridinha…e fui.

medalhas corrida

Medalhas da Corrida C.E.S.A.R e da Corrida das Estações

Cheguei ao fim, recebi a medalha da Corrida das Estações e a da Corrida C.E.S.A.R (ia pra todo mundo que seguia até o fim) e fiquei feliz da vida! Estava cansada, mas imensamente feliz, com um arrepio pelo corpo todo (adrenalina pura) e até emocionada. 

Um item a menos na minha lista, a alegria de ter conseguido cumprir uma meta pessoal, a “sorte” de trabalhar em um lugar que incentiva práticas de saúde pra quem trabalha aqui…ah, foi massa! Espero não perder o ânimo e – quem sabe? – logo começar a treinar e um dia correr uma prova pra valer!