Duas coisas divertidas: “adivinhe” a sua idade e playlist anos 90

Ah, como é bom um feriado, né? Esses momentos de puro relax são fundamentais pro corpo e pra mente. Então, como feriadão é bom pra descansar também a mente, trouxe pra cá duas coisas bem leves, só pra distrair, mas que tem a ver com o tema do blog, os 40 anos. Olha aí:

Playlist da boate Over Point

A Over Point era O lugar do Recife nos anos 90. Era uma boate badalada e muita gente que hoje está na casa dos 40 anos simplesmente amava o local. Digo logo que eu não era de baladas e só fui por lá uma vez na vida, mas eu era a “fora da curva” naqueles tempos. Aí esta semana minha amiga e colega de trabalho Verônica mostrou que o DJ da casa na época, Érico Junior, tem uma fanpage onde coloca várias playlists do que tocava naqueles áureos tempos da Over. Essa playlist abaixo é uma delas. Pode colocar pra tocar!

Eu chamaria ele pra comandar o som de uma festa anos 90 ou de aniversário de 40 (e poucos) anos. Tem outras lá na página do Facebook

Qual é a sua idade?

how old net idades

Está o maior sucesso o site “How old”, que “descobre” a idade que você aparenta. Basta subir uma foto sua ou fotografar na hora, esperar um tempinho e ele diz. Isso pode variar, de acordo com a sua expressão na fotografia, se estiver usando maquiagem demais e outros fatores assim. O site é da Microsoft e faz parte de um trabalho ainda em progresso, de identificação facial. Testei algumas vezes e fui dos 29 anos ao 36 – não vou mentir: curti aparentar menos. Visita lá o “How Old” pra ver a idade que você aparenta ter. .

Lição de uma dançarina de 102 anos: boas lembranças

Essa senhorinha na cama é a Alice Baker, de 102 anos. Durante a época do Harlem Renaissance (Renascimento Harlem), movimento cultural que aconteceu nos Estados Unidos entre o final dos anos 1920 e inicio dos 1930, que atraía atenções para a cultura negra e seus artistas, ela era dançarina.

Então levaram para Alice alguns vídeos em que ela aparece dançando em várias apresentações – uma coisa realmente linda! Eis que ela não só se reconhece, como se anima bastante e acha tudo fabuloso! Mas fiquem atentos ao que ela diz: “Eu costumava dizer para mim mesma: ‘eu estou sendo paga para fazer algo que eu gosto de fazer e que faria de graça, simplesmente porque eu me divertia fazendo“.Aliás, em outro momento do vídeo (no 3:25), quando perguntada sobre o que sentiu em ver a si mesma dançando, nos vídeos, ela responde> “Eu gostaria de poder sair dessa cama e fazer tudo de novo“.

Enfim, investir em bons momentos, em fazer coisas que se gosta, como se pode ver, é importante não só no presente, mas também para ter boas lembranças no futuro! Uma boa lição para quem, com nós, está nesse início de fase dos anos “enta”. Que a gente cultive cada vez mais bons momentos, assim como os de Alice, para sorrir bastante, mais tarde.