Envelhecer e o Dilema da Beleza

aging

Li hoje um artigo do The NY Times, que achei bastante interessante. Escrito por Debora L. Spar, presidente da Barnard College, Faculdade de Artes que fica em Nova York, a acadêmica tem opiniões fortes, é feminista, inteligente como é de se esperar e traz à tona um dilema: conciliar feminismo e vaidade.

É assim: quem vive o chamado “pós-feminismo” (entenda, o feminismo já posto em prática):  ao mesmo tempo em que muitas mulheres não assumem se submeter a procedimentos cirúrgicos ou estéticos, não se aceita com facilidade os vincos nos rostos, peitos caídos ou fios brancos, por exemplo. Algumas até não fazem plástica, mas fazem preenchimentos com restylane, usam botox ou, pelo menos, pintam o cabelo – como se isso fosse tão diferente assim!

Mas se as mulheres lutam pra serem donas do próprio nariz não estariam no direito de fazerem o que quiserem? Ou será que fazendo isso não praticam indulgência pra agradar à sociedade? Será que se umas deixassem de fazer outras também não se sentiriam livres para seguir o exemplo? Mas quem teria coragem de começar e deixaria as rugas tomarem conta do rosto, sendo atriz famosa de cinema ou uma super executiva, por exemplo?

É esse o dilema idade x beleza que a autora traz e, como ela mesma diz, “trivial, mas, mesmo assim, doloroso”. E, digo mais, é cruel, porque ainda vivemos pensando nisso de “o que os outros pensam”, mesmo sem querer.

Aconselho a leitura. Ele está aqui. Se você não lê em inglês, copia, cola aqui no Google Tradutor que consegue. ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *