Curso mostra possíveis caminhos para o amor

Coisa que acho difícil é relacionamento amoroso, viu? Acho complicado bater aquele “tchananan” que faz com que aquela outra pessoa seja O tal alguém. Vim com esse assunto hoje por causa de umas perguntas que me chegaram por e-mail:

  • Você se casaria com você mesma?
  • Como anda sua energia, de 1 a 10?
  • Você é capaz de iniciar relacionamentos?

Foram só algumas das perguntas que chegaram e – olha – me colocaram pra pensar. Conhecer pessoas nem é tão complicado, mas estabelecer um relacionamento de fato, isso sim, pode ser mais difícil e pode despender um grande fluxo de energia para dar certo. É preciso que os envolvidos estejam com vontade que tudo dê certo. Aliás, é difícil explicar o que faz um relacionamento dar certo, não é mesmo?

Então fiquei bem curiosa em relação a um curso que vai acontecer em São Paulo no dia 27 de abril: o curso “Casa comigo?”. Numerologia, astrologia, ioga, meditação e outras práticas, sob comando da life coaching Ana Rezende, vão tentar ajudar a responder algumas dessas perguntas acima, entender como anda a sua vida em termos de relacionamentos amorosos e até tentar mostrar caminhos que possam ser seguidos. A frase-chafe do curso é bem instigante: “Nunca é tarde para encontrar o seu par perfeito” (e eu sempre lembro que “perfeito” aqui não é sem defeitos, mas com imperfeições e qualidades que combinam com as suas). Será, hein?

Interessante, não acham? Por mais que busquemos pelo raciocínio lógico, em certas coisas pode ser válido procurar explicações e caminhos alternativos, que são além-entendimento racional. Curti a ideia. Para se inscrever basta clicar aqui.

Curso Casa Comigo:
Data: 27/04/2017
Horário: 18h às 22h
Local: Rua Cláudio Soares, 72 – Conj 218 – Pinheiros – São Paulo/SP
Especialista: Ana Rezende

*Publieditorial

#velhapraisso coisa nenhuma! Linda campanha da Natura

Não tem jabá, não tem #ad, nada disso…mas rolou toda uma identificação dessa campanha maravilhosa da Natura para o Natura Chronos com o Novos40. Afinal, este blog também tem o propósito, desde a sua criação, em fevereiro de 2014 (sim, esse tempo todo!) mostrar que não existe isso de “estar velho demais para” enquanto há vontade. Quando criei o Novos40 foi justamente porque temia entrar em parafuso com a tal “crise dos enta” e queria mostrar que 40 era apenas um número, nada mais. Que poderia até ser ponto de partida pra muita gente…”Oba, cheguei aos 40! Que novos planos traçarei agora?”.

Então deixo meus aplausos à Natura pela campanha #velhapraisso, porque “Velha pra isso” não existe mesmo….que todos estejamos sempre com algo novo em mente, vontade de fazer e nada a temer…nem a idade.

 

Os velhos 40

humor idosas mulheres gargalhando gargalhada irmãs rir dos problemas

A esta altura do campeonato, quem já deu uma lida neste blog entendeu que aqui eu tento desfazer aquela ideia de antigamente, de que pessoas de 40 anos estariam cansadas e ultrapassadas e mostrar que somos jovens, cheios de planos e dispostos. Mas, sejamos bonestos: não e sempre assim. Tem dias em que o cansaço bate mais forte do que nunca, aparecem dores aqui e acolá, as idas aos médicos ficam mais frequentes e emagrecer já ficou difícil [há anos]. Tem dias em que chego em casa depois do trabalho e já não consigo produzir nada e nos finais de semana quero relax, risadas e descanso. Só!

Então você lamenta, mas logo lembra como empre foi: no meu caso, que malhou algumas vezes, mas não com muita frequência e mais pra programações traanquilas com amigos do que de farras. Também recorda que sempre foi ao médico e que já sabia que, com o tempo, isso ficaria mais frequente – sem dramas, até porque passou a prestar mais atenção na própria saúde. .Acima de tudo você já sabe que é preciso priorizar algumas coisas na vida e deixar outras para o futuro (ou para nunca mesmo).

É aí que entra a sua porção #Novos40 nesse contexto #Velhos40: o modo de encarar! Se antes ficava arrasada com muitas coisas, agora só o problema for sério. Fica com raiva e/ou triste, normalmente, mas já sabe que não pode se deixar levar por isso e continua a sua rotina, da melhor forma que puder. Também sabe que há pessoas a quem pode dizer “desculpa, não tô lega” e ficar tudo bem.

Mas é o humor que faz a grande diferença. Aprender a rir de mim mesma deve ter sido o que melhor fiz pela minha pessoa. Não que precise justificar como se sente, mas experimenta  “é PVC!” para explicar o “não” pra balada e pra falar sobre a causa de dores nas costas  Pra quem não sabe, PVC = “porra da velhice chegando”. Mesmo que a dor seja má postura, vale usar o humor.Emende essa frase com uma boa gargalhada e vai ver que esse humor contamina você mesmo e quem estiver por perto.

Para o restante, como os posts do meu blog resolvi que farei no tempo certo, sem forçar a barra. É o melhor que cada um pode fazer por si, em qualquer idade e ocasião. Vocês concordam?

A beleza ao longo do tempo

É muito comum que a gente se preocupe com certoes padrões de beleza. Não deveria, mas é natural, né? Então eu achei esse vídeo, que mostra estilos de penteados e maquiagens ao longo dos anos. É bem interessante porque a gente percebe que tem coisas que já saíram da moda, mas combinam bastante com a gente – então e daí que não está mais “in”? Se eu fico bem, combina comigo e eu gosto, quero nem saber se está na moda…eu uso e pronto. Até porque, como você pode ver, tem estilos que se parecem tantos, entre as décadas. Com que década dessas que aparecem você se identifica mais?