Como manter a pele bronzeada com mais saúde

Chegou o verão! Ok, ainda não chegou, oficialmente ainda estamos na primavera, mas pras bandas de cá o sol já tem estado a pino – parece estranho dizer isso do Recife, mas a verdade é que sempre temos um período com muitas chuvas e, posso dizer, este ano foi um tempo extenso, parecia que não ia acabar.

Mas eu estava lembrando que quando a gente era mais novinho ou mesmo criança o bonito era se bronzear. Ninguém passava protetor solar (ô, erro!), que acho que nem existia, a gente passava bronzeador ou, mais comum, não passava nada na pele! Tudo errado! Mas tinha uma coisa interessante: para conseguir um bom bronzeado a gente também investia no consumo de betacaroteno! Aí, sim, uma coisa boa!

Naquela época se dizia que o betacaroteno ajudava o bronzeado a “pegar” mais rápido e a ficar mais tempo na pele. E é verdade! O betacaroteno é um carotenoide, pigmentos naturais de algumas plantas e que ajudam a acelerar o processo de bronzeamento, já que ajuda no processo de produção da melanina. Acontece que o betacaroteno também tem outras propriedades:

  • É bom para a visão – é convertido em retinol pelo organismo
  • Combate os radicais livres, é antioxidante
  • Colabora na preservação do colágeno, que melhora a elasticidade da pele
  • Ação protetora das células
  • Tonificação dos cabelos
  • Fortalecimento das unhas
  • Bom para os ossos
  • Melhora a imunidade

Para ter essas propriedades do betacaroteno basta consumir produtos como cenoura, suco de laranja com beterraba, folhagens verde-escuras, mamão, abóbora/jerimum, brócolis e pimentões. Então, já sabe: quer manter a cor do verão e ainda ter mais saúde, uma boa salada e um bom suco já ajudam!

A sua pele como ela realmente é

How the sun sees you [rough cut] from Thomas Leveritt on Vimeo.

Entre os cuidados que se deve ter para passar dos 40 com a pele saudável e jovem, sem sinais exagerados que fazem até você aparentar mais idade do que realmente tem está o de proteger a pele dos raios nocivos do sol. A gente não tem muita noção dos perigos que corre e de como realmente está a nossa pele.

Então achei muito interessante esse vídeo que mostra, com o uso do ultravioleta, como a pele de algumas pessoas é de verdade – com manchas, sardas, marcas que elas não vêem no dia a dia, “a olho nu”. Com o mesmo recurso do ultravioleta também podemos ver como o protetor solar realmente forma uma mega-barreira para impedir os raios de penetrarem na nossa pele – e de como devemos cuidar para que ele esteja mesmo bem espalhadinho na pele.

Viu o vídeo? Chocante, não? Se ligou de como é importante tomar cuidado? Veja bem: não é evitar completamente os raios solares – aquele solzinho do comecinho do dia, bem cedinho e o do fim da tarde até fazem bem, porque são fontes de vitamina D. Aliás, quando eu caminhava às 6h da manhã nem passava protetor. Depois desse horário, tento lembrar de ter esse cuidado.

Além do envelhecimento precoce da pele, de manchas e outras marcas nada bacanas, ainda tem o maldito câncer de pele, que está entre os mais letais no mundo. É isso aí! No final de semana na praia, campo ou piscina, no dia-a-dia na rua ou mesmo dentro de casa ou do escritório (porque a luz artificial das lâmpadas também pode ser nociva), pode tratar de “tascar” protetor solar pelo corpo e pelo rosto!

P.S. Válido dizer que eu só passei a usar protetor quando já tinha mais de 20 anos de idade, porque não era um hábito comum àquela época. Se passava mesmo eram bronzeadores – os de hoje tem proteção, os daquela época, acho que não – para ficar mega-morena. Tenho medo das consequências de um dia ter ficado tostando sem proteção.

P.S.2 – vi o vídeo no site Comunicadores