Rainha do pornô se aposenta aos 80

O título já diz tudo: Maori Tezuka, rainha do pornô japonês resolveu se aposentar esta semana, aos 80 anos. Isso é a cara do Novos40 porque um dos objetivos aqui é mostrar que nunca é tarde demais pra começar alguma coisa – mesmo quando se trata de se tornar uma estrela do mercado pornográfico – e, pasme, ela que era cantora de ópera, começou a participar de pornôs aos 71 anos!

Preconceito meu ficar tão espantada, mas, confesso, fiquei mesmo bem surpresa em saber que no Japão é bem forte a indústria da “geronto-pornografia” – isso mesmo, pornô “idoso”! Não é sensacional, que a sexualidade na terceira idade tenha mercado? Mas, veja, 1/4 do Japão tem mais de 65 anos de idade e eles sabem tratar essa fase da vida com um respeito inigualável!

Maori diz que o único problema que tinha era quando os homens com quem contracenava não eram do ‘seu tipo”, que isso tornava o trabalho mais difícil, mas, avisa: não descarta um retorno ao pornô. Um dos atores da indústria pornográfica mais famosos do Japão é Shigeo Tokuda, de 82 anos.

Mick Jagger, 72, pai novamente e nenhuma surpresa

jagger melanie

Imagem: The Sun

Olha ele aí de novo! Mick Jagger será pai pela oitava vez, aos 72 anos. Muito bacana, mas não exatamente surpreendente, afinal, homens não têm exatamente um “prazo de validade” ter filhos assim como, infelizmente, as mulheres têm. Aliás, espero que se torne natural que a mulher tenha filhos mais tarde, de forma saudável e feliz – e não me venham com “mas ela vai estar velha demais pra aguentar o pique das crianças”, se isso não vale também para os homens. A mãe do novo Jagger é a bailarina Melanie Hamrick, de 29 anos.

Convenhamos, é surpresa para alguém que ele tenha uma vida sexual ativa? Não, né, minha gente? Aliás, vida sexual longa e próspera para todos, que um dia a gente também estará na casa dos 70 e espera-se que ela seja animada. E, pelo que dizem de Mick Jagger, ~animação~ é com ele mesmo. Então não duvidemos de outros Jaggerzinhos daqui a mais algum tempo. Bote fé no velhinho, ele sabe o que faz.

Babilônia: amor em qualquer idade

beijo babilônia fernanda montenegro natália timberg

Entre muitos assuntos que pipocam nas redes sociais – e como tem pipocado assunto! – um se tornou destaque desde ontem à noite: o beijo das personagens de Natália Timberg e Fernanda Montenegro, logo no comecinho da nova novela da Globo, Babilônia.Claro que o auê todo, com toda justiça do mundo, foi principalmente por ser a representação de um relacionamento gay, de longa data, por duas das maiores atrizes brasileiras.

 Mas esse casal também traz um outro tema bem relevante para a TV: o amor na terceira idade. Veja bem: as atrizes – e as personagens, creio – tem mais de 80 anos de idade e se beijam, trocam carinhos, andam de mãos dadas. Elas se amam! Lembrei que um dia desses, por acaso vendo BBB (não é coisa de “intelectual-não-vejo-BBB, é só porque no horário estou vendo CSI ou Criminal Minds mesmo rs) tinha uma das participantes dizendo que a pernambucana Mariza, que tem 51 anos não aguentaria mais uma noite de sexo “seria pra matar a velha”. Não sei de que planeta vem a menininha que falou isso, mas, se ela chegar aos 50, coitadinha.

Pessoas mais velhas, assim como as mais novas, amam, procuram amor, fazem sexo, se apaixonam e querem curtir tudo isso. Não há idade pra coisas assim! Espero que Babilônia coloque isso em evidência!

Imagem: GShow

50 tons de polêmica

50 tons de cinza

Antes de tudo, me desculpem pelo título ridículo, não resisti. O negócio é o seguinte: na semana passada o filme “50 Tons de Cinza” entrou em cartaz.Como se sabe, o filme é baseado na trilogia de livros da inglesa E..L. James e conta a história do milionário Christian Grey (daí os tons de cinza, que tem mais a ver com as várias faces do personagem que com cores, exatamente) e da universitária Anastasia. Bom, eles iniciam um relacionamento que se mostra baseado em presentes caros, interesse, curiosidade, paixão, obsessão e sadomasoquismo.,,e amor, dizem.

Na época do lançamento os livros foram descritos como romances eróticos feito para mulheres mais velhas, a partir dos 40 anos, sendo grande parte casada. O filme é baseado no primeiro livro e chamou a atenção de quem até agora não sabia do que se tratava.  Preciso dizer que não achei os livros uma “revolução sexual” como alguns pintaram. Não sou adepta de sadomasô, mas vi o livro como um romance comum, de mocinha-encontra-príncipe, sendo que ele não é tão príncipe assim e tudo envolve grana e dor. A revolução está só no fato de que teve gente que só agora descobriu que mulher também gosta de sexo por prazer, mesmo quando já são mais “maduras” (TCHARAM!).

Bem, com atenções voltadas para o filme o para os livros surgiram polêmicas:

– Christian Grey é um bandido, que bate em mulher

– Anastasia é uma interesseira, já que se apaixonou depois de ganhar presentes caros

– Todo casal tem seu segredos e o sadomasoquismo é o deles

– Christian se aproveitou da ingenuidade e inocência da então virgem Anastasia

– Anastasia sabe muito bem no que está se metendo

– Tem gente que nunca curtiu BDSM e agora quer tentar – vai dar merda, pra alguns.

– Quem já viu assinar acordo para não contar a ninguém que leva surras na hora do sexo?

– O filme é um atentado ao feminismo

– Cinquenta tons é apenas um romance, como qualquer outro, em que pessoas procuram alguém para amar, com suas qualidades e defeitos

– O filme não tem sexo o bastante, é fraco

– O filme é semi-erótico

Se não curte a história, você acha que vale dar uma olhada no filme pelas polêmicas que levanta? Por enquanto, prefiro não opinar mais do que já fiz. O filme está em cartaz no país todo, então deixo as discussões para vocês. Me contem o que acharam!