Tá rolando coisa boa: Festival Comida di Buteco

Costelinha da Bodega do seu Artur – foto: divulgação

Ainda falta pro final de semana, mas já está procurando o que fará no próximo finde prolongado? Dicona: está rolando o festival gastronômico Comida di Buteco. É aquele festival que divulga os bares mais simples, mas sinceros e deliciosos e faz um concurso entre as casas participantes para eleger o melhor petisco entre todos eles. Aqui no Recife são 25 bares participantes, em várias partes da cidade – zona norte, sul, oeste e Recife Antigo têm casas participando.

Casquinha de siri do bar Teatro Mamulengo. Foto: divulgação

A votação é feita pelos próprios frequentadores dos bares, que dão notas para atendimento, sabor e até temperatura da cerveja. Você até pode fazer seu próprio concurso, fazendo um tour pelos bares participantes e elegendo o que mais gostou, né? Fica a ideia! O Comida di Buteco vai até o dia 07 de maio. Para saber quais são os bares e o que cada um serve basta acessar o site do festival.

“Comida Di Buteco” Recife mostra campeões

Jpeg

Ontem eu fui à festa de premiação do festival gastronômico Comida Di Buteco daqui do Recife. O concurso, que acontece em outras 19 cidades brasileiras tem uma dinâmica bacana: é escolhido um boteco de cada lugar e, depois, entre esses, é escolhido o melhor do país. Nos concursos locais leva-se em conta fatores que fazem o sucesso de todo boteco: petisco gostoso, bebida gelada, atendimento atencioso.

Quem acompanha o Instagram do Novos40 (segue aí!) viu o resultado, que postei ontem em tempo real. Quem não viu, repito de novo aqui:

  • Em terceiro lugar, Whiscritório, com o petisco carré suíno
  • Em segundo lugar, a Bodega de Seu Artur (mais conhecido como “Bar do Artur”), com o famoso cupim recheado
  • Em primeiro lugar, uma surpresa e um prato bem simples: deu Confraria do Seu Perninha, com o feijão preto com patinho e costela suína.

A surpresa é que Seu Perninha também foi campeão da edição 2015, no Recife. Nem ele acreditava que ganharia: “Eu não esperava. Não com esse prato, tão simples”, me disse  o “seu Zé Perninha”, em conversa, ontem. Mas, logo na sequência, ele mesmo mostrou o “segredo do sucesso” da casa: “a comida é boa, a bebida é gelada e o atendimento é rápido e atencioso”. E o que mais a gente quer num boteco, né, gente? É isso mesmo! Agora ele vai levar o prato pra competir com botecos de outros estados.

Uma coisa que todos os donos de botecos comentavam era como o festival aumenta a quantidade de clientes das casas. Isso é bem bacana e que me faz ter um carinho especial pelo Comida Di Buteco, já que normalmente os donos são pessoas simples e é comum que seus estabelecimentos sejam a única ou, pelo menos, principal fonte de renda da família – seu Perninha mesmo ressaltou que os filhos trabalham com ele. Ou seja: se o movimento aumenta, a renda também sobe. Isso é muito legal! Eu curti bastante ser jurada do festival.

Bem, a edição local do Comida Di Buteco 2016 acabou, mas se você quiser conhecer os botecos que participaram, tem a lista completa aqui.