Pessoas mais velhas e o mercado de trabalho

Um texto recente do Fórum Econômico Mundial – Weforum – mostra que a pirâmide da idade para o mercado de trabalho está se invertendo: com o avanço da idade da população mundial, os 50 anos, que eram vistos como um “pôr-do-sol”, ou seja, quase a reta final para a vida produtiva de uma pessoa, hoje é vista como um ponto de partida para novas jornadas. Isso tem acontecido de modo muito evidente em países desenvolvidos: pessoas mais velhas que continuam trabalhando, normalmente. No Reino Unido a população de 60 anos de idade em postos de trabalho é crescente.

É uma questão lógica, que vem com o envelhecimento da população: de novo no Reino Unido calcula-se que 12 milhões de pessoas devam se aposentar entre os anos 2012 e 2022, mas só sete milhões ocuparão esses postos de trabalho. Além disso, as taxas de natalidade se mantêm baixas. No Japão, país com a maior expectativa de vida, também há uma batalha pra preencher esses postos de trabalho com jovens.

Solução: algumas empresas estão procurando manter os funcionários mais experientes. Alguns se aposentam, mas continuam trabalhando. Falamos aqui de trabalho altamente qualificado mesmo! Pela mesma alta capacidade apresentada, também vem aumentando a quantidade de empreendedores mais velhos – pessoas que a partir dos 50 começam a montar as suas próprias empresas. As empresas estão acompanhando a mudança demográfica: para uma população mais velha e capacitada, que pode suprir os espaços nos postos de trabalho, dá-se melhores condições e benefícios. Pelo menos é o que acontece nos países mais desenvolvidos.

O texto completo do Weforum você vê aqui.

A idade certa para cada coisa?

O Business Insider publicou há poucos dias uma lista mostrando as atividades que estariam no auge, de acordo com cada idade. Ou seja: em que idade seria mais fácil realizar alguns feitos. Essa lista mostra uma media do que acontece, de acordo com pesquisas realizadas no Reino Unido e todas mostram um motivo. Pra ser mais clara, alguns exemplos:

  • Aos 7, 8 anos – aprender um novo idioma. Aprender uma segunda língua antes da puberdade, teoricamente, é mais fácil do que quando se é mais velho.
  • Aos 18, pico do processamento cerebral. 
  • As mulheres são mais atraentes para os homens quando estão com 23 anos
  • Aos 26, a melhor idade para se casar – porque nessa idade você já teria conhecido gente suficiente para isso e já teria escolhido o “com quem”
  • Os ossos ficam mais fortes aos 30
  • A habilidade para reconhecer rostos tem seu pico aos 32
  • Agora a nossa idade: é aos 40 anos que a maioria dos vencedores do prêmio Nobel fazem as suas grandes descobertas
  • Entre os 40 e os 50 anos de idade é que você reconhece melhor as emoções de outras pessoas, bastando apenas olhá-las
  • O melhor de todos: o pico da satisfação com a vida se dá aos 69. A pesquisa diz que as pessoas de 60 são mais satisfeitas do que as de 50.

De novo: a lista foi feita baseada em pesquisa científicas e mostra com que idade várias atividades atinge seu auge. Mas isso não significa que a gente não possa ter excelência em alguma coisa, mesmo estando “fora da idade”. Um tanto de dedicação aqui, uma ingestão maior de cálcio e vitaminas acolá e bastante empenho garantem o resto. A melhor idade pra cada coisa também depende de você.

A lista completa está aqui.

Restrição calórica, mais tempo de vida

Macacos da mesma idade, mas o da esquerda visivelmente com aparência mais jovem – foto da Winsconsin-Madison University

A dieta da restrição calórica, do jejum intermitente, está longe de ser um consenso entre médicos, tanto no que se refere ao emagrecimento saudável quanto aos benefícios mesmo ao organismo. Mas, veja só, cientistas de dois laboratórios, o da Universidade de Winsconsin-Madison e National Institute of Aging, ambos nos Estados Unidos, uniram forças e chegaram à una conclusão: uma dieta restritiva pode prolongar a vida.

O estudo foi feito com mais de 200 macacus rhesus e concluiu que aqueles que comiam menos viviam mais e tinham menos problemas de saúde. Porém com alguns pontos:

  • Só funcionou em macacos já com mais idade – nos jovens não fez diferença – acho isso importante, algo que você pode fazer quando já tem certa idade, não quando é “tarde demais”.
  • Não é só uma questão de restrição calórica, mas também do que se come, se tem menos ou mais açúcar, por exemplo
  • Quando se fala em restrição calórica é restringir mesmo, comer pouquíssimo!

A pesquisa, vale repetir, foi feita com macacos. Ainda faltam mais pesquisas com humanos para saber como reagiriam, mas essas já estão em andamento. Além disso, a espécie de macacos pesquisada, rhesus, tem mutas semelhanças com humanos. Será que o futuro da longevidade é comer menos? Mais que isso: estão dispostos a isso?

Como identificar uma boa noite de sono

Você tem uma boa noite de sono? Pode ter certeza que grande parte das pessoas prontamente responde “não”, mas sabia que há estudos para identificar se você dormiu bem – quando se trata do sono da noite, não de um cochilinho? O pesquisador Maurice Ohayon, do Stanford Sleep Epidemiology Research Center junto com vários outros especialistas em sono reviram mais de 200 estudos sobre o assunto e chegaram a conclusões interessantes sobre o que é ter uma boa noite:

  1. Você leva no máximo meia hora pra pegar no sono
  2. Você levanta no máximo uma vez do sono (pra ir ao banheiro, por exemplo)
  3. Se você levanta no meio da noite, você consegue voltar a dormir em até 20 minutos
  4. Você permanece dormindo por 85% do tempo que está na cama

Pronto, agora você sabe se pode dizer se a noite de sono foi boa ou não. Agora, se foi satisfatória ou não é outra coisa: cada um tem o seu tempo certo para dormir. De uma cosia não resta dúvida: esse período de descanso é fundamental ao bom funcionamento do corpo e da mente.

Daqui.

Levanta, que sentar envelhece

Uma pesquisa recente da Universidade da Califórnia em San Diego comprova: ficar sentado por mais de dez horas por dia – e a gente fica desse jeito, facilmente, em dias de trabalho – e não se exercitar pode envelhecer as células em até oito anos. Para chegar à conclusão foram pesquisadas 1500 mulheres entre 64 e 95 anos de idade.

A pesquisa mostrou que as mulheres que se exercitavam menos de 40 minutos por dia e ficavam sentadas por mais de dez horas tinham telômeros mais curtos – aquelas extremidades do DNA que, quando ficam curtas demais, a ponto da célula não conseguir se partir mais, começa o processo de envelhecimento, sobre o qual escrevi neste post. Isso, vale dizer, não é em relação à idade cronológica, mas biológica, ou seja, como o corpo reage. Como resultado, essas pessoas também têm níveis mais alto de colesterol, obesidade e problemas cardiovasculares.

Ou seja: mais sedentarismo = telômeros mais curtos = envelhecimento mais cedo. Levanta da cadeira, que ficar sentado demais não tá com nada!

Os quarentões dominam a internet

internet

Nesta sexta-feira (25/11) o IBGE divulgou uma pesquisa que o grupo de brasileiros que têm entre 40 e 49 anos foi o que mais cresceu no acesso à internet entre os anos de 2014 e 2015. Somos 30,3 milhões de quarentões acessando a web, um crescimento de 13,9% no período pesquisado. Estima-se que 55,3% dos brasileiros nessa idade acessam a rede.

Foi maior o número de pessoas entre 40 e 49 anos que passaram a acessar a internet do que os de qualquer outra faixa de idade. No Brasil 102,1 milhões de pessoas de 10 anos de idade ou mais acessam a internet – 57,5% da população. O segundo grupo que mostrou mais crescimento aconteceu na faixa dos que têm 50 anos de idade ou mais.

E ainda há quem ache que internet é coisa pra adolescente! Pode isso?

A Ciência e os “atletas coroas” das Olimpíadas

Na semana passada fiz um post bacana aqui no blog, sobre os atletas de mais de 40 anos de idade nas Olimpíadas. Aí ontem saiu uma matéria muito legal, no Fantástico, também sobre esses atletas “coroas”, com foco no uso da ciência para que o fôlego e explosão muscular permaneçam, mesmo com o passar dos anos.

Biomecânica para identificar e corrigir desequilíbrios, remédios que evitam o endurecimento de fibras e até terapia genética, com o uso de células-tronco para que seja possível prolongar a vida como atleta já são realidades. Inicialmente esses trabalhos são voltados a atletas de alta performance, mas que podem servir a nós, simples mortais, também. Eu acho tudo isso muito interessante, porque, mesmo não sendo atleta, espero que, se tiver uma vida longa, que ela continue sendo saudável e independente. O que vocês acham disso?

A matéria completa do Fantástico está aqui.

A crise da meia-idade é real!

crise de meia idade midlife-crisis-ahead

Será que a “crise de meia-idade” existe mesmo ou é apenas uma piada ou, ainda, uma desculpa para algumas mudanças de comportamento? A Royal Economic Society – associação britânica de estudos econômicos e sociais que envolve a universidade, governo, serviços bancários e outros representantes da sociedade – revelou um estudo chamado (em tradução livre) “Evidências de que o bem-estar humano atinge seu nível mais baixo no início dos 40 anos” que mostra que é algo verdadeiro!!

Mid life crisis U curve

Para chegar a esse resultado foi feita uma pesquisa com 50 mil pessoas no Reino Unido e na Austrália. A pesquisa mostrou que a felicidade e o bem-estar começam a fazer uma curva em forma de “U”, a partir do começo da vida adulta, atingindo o seu ponto mais baixo entre os 40 e 42 anos. Ou seja, nessa idade bateria uma “crise” e não acharíamos nada legal.

Na verdade, já se sabia que essa curva em U era comum, mas é a primeira vez que a pesquisa é feita em vários países ao mesmo tempo e que se confirma um padrão. Entre outros dados, percebeu-se que as muitas responsabilidades da pessoa no começo dos 40 influem bastante e seria a época em que mais se trabalha. Ter ou não filhos não faz diferença, pelo que viram. Bem, a boa notícia é que depois dessa idade a curva volta a fazer um movimento ascendente. Ufa!

Agora me diz o que você acha da crise de meia-idade! Já está percebendo isso em você?

Veja mais sobre a pesquisa aqui.

 

Cientistas descobrem a “idade real”

pessoas mais velhas saudáveis

Você pode não ter chegado ainda aos 40 anos. Ou já ter passado dessa idade há muito tempo, apesar do que diz a sua certidão de nascimento. É que cientistas britânicos divulgaram esses dias que desenvolveram um exame de sangue simples que poderia “dizer” qual a verdadeira idade de uma pessoa – do seu físico, na verdade. Isto significaria que a idade que você tem cronologicamente seria apenas um número sem tanto significado (a gente sempre soube disso, né?).

Pois bem, os cientistas do King’s College London, em parceria com outras instituições, depois de um estudo de sete anos, conseguiram identificar sinais que mostram quanto uma pessoa estaria ou não envelhecendo bem e se teria sinais de desenvolver doenças relacionadas à idade.  Detalhe: a real idade mostrada nesse estudo independe do estilo de vida da pessoa que faz esse teste de sangue, é algo puramente genético mesmo.

O teste, que pesquisa 150 genes, poderia prever Alzheimer e demência antes mesmo que se desenvolvessem, por exemplo. Isso pode ajudar a desenvolver tratamentos para prevenir esses males. O desenvolvimento desse trabalho pode resultar em tratamentos que podem prolongar a boa saúde até que as pessoas se tornem – também cronologicamente – mais velhas, algo que interessa a todos, pois resultaria em uma sociedade – que está envelhecendo, em todo o mundo – mais saudável.

Veja mais sobre a pesquisa no site do King’s College. 

Eu quero conhecer você! [Pesquisa #Novos40]

 NOVOS40 PESQUISANão sei se já contei aqui, mas eu tenho um blog pessoal chamado “Eu falo sozinha”. Lá eu normalmente escrevo sobre coisas pessoais – isso quando eu escrevo, porque pode ficar um tempão parado. Mas, sabe, aqui eu não quero “falar sozinha” e, para isso, eu quero descobrir quem são as pessoas com idade a partir dos 40 anos (ou mais, ou menos), o que elas gostam de fazer e, principalmente, que assuntos gostariam de ler em um blog voltado para elas.

O Novos40 não é um blog feminino, ele é feito para todos. Então, meninos, não se acanhem: tratem de também responder a pesquisa e compartilhá-la com seus amigos, ok? Podem começar DJÁ (Walter Mercado feelings)! Para isso, basta clicar AQUI e responder lá. Depois compartilha, tá? Isso vai me ajudar muito!

Obrigada, todo mundo! Estou louca pra conhecer vocês! <3