Novo Bridget no cinema: voltei a me empolgar

Confesso que não estava nem um pouco animada pro novo filme de Bridget Jones que está pra chegar aos cinemas. Mas é que eu não havia lido nada a respeito e jurava que era baseado naquele último livro do qual eu já havia escrito aqui no blog e que eu não havia curtido, lembra? (quem não lembra lê agora rs). Mas aí, às vésperas do filme estrear, voltei a me animar…

Revi esse trailer

Bridget 

 

Vi Renèe ZellWeger linda, na pré-estreia, na Inglaterra e junto dos lindões Patrick Dempsey e Colin Firthbridget

Sobre as fotos acima duas coisas a dizer:

  1. Que vestido fantástico, esse vestido de seda azul Schiaparelli, midi, com um broche maravilhoso, adornando uma fenda divina e um ombro só…qual o melhor elogio, gente? Apenas quero esse vestido pra mim!
  2. Lembrem que Renée tem 47 anos, Patrick tem 50 e Colin tem 55 anos e os três estão sensacionais! E danem-se vocês que ainda falam mal das plásticas e procedimentos que ela fez, que agora estou achando ela ótima, sim! Cada um faz o que quiser pra se sentir bem, afinal.

O filme tem previsão pra chegar por aqui lá pelo dia 29 e eu JÁ QUERO ver Bridgetzinha grávida, louca, enjoada, com nenem nos braços, disputada por dois homens lindos-e-maravilhosos e…gente, voltei 12 anos no tempo?

 

Ali, no Dali, que delícia!

O final de semana nem chegou e já estou dando dica de restaurante, sim! É que o Dali Cocina, um dos restaurantes que mais gosto aqui no Recife, está cheio de novidades e faz tempo que eu queria contar isso aqui no blog. Dia desses fui convidada a conhecer o novo cardápio da casa. O Dali sempre teve boa variedade de pratos, com a comida mediterrânea como carro-chefe. Agora traz uma novidade que me agrada bastante: agregar ingredientes típicos nordestinos às receitas. Queijo-manteiga e batata-doce, por exemplo, estão lá. Outra novidade bacana está nos pratos vegetarianos, delicioso! Isso tudo sem abrir mão do toque mediterrâneo, claro.

E, minha gente, preciso dizer: que jantar maravilhoso eu tive, viu? Dá água na boca só de relembrar!

dali cocina restaurante Recife cardápio metidterrâneo regional

Os pratos da casa sempre foram muito bons, mas a chegada do chef Robson Lustosa deu uma incrementada, principalmente pela ousadia. As tapas e os bocaditos são ótimos como entrada ou na happy hour – novidade no horário do Dali. Aliás, eu espero que Chris e Gideão, sócios no restaurante, tenham aceito a sugestão de ter aquela mostra com um exemplar com variedades dessa categoria, em um só prato. Devo dizer que me surpreendi com as coxinhas de rã.

De principal, o filé ao molho de alho assado, com arroz de pimenta biquinho e chips de batata-doce promete conquistar a clientela – o único problema vai ser decidir entre ele e o Mezclado de frutos do mar. Pra completar, esse bolinho de chocolate e creme de avelã, acompanhado de sorvete, da última foto.

Já disse e repito: após os 40 anos “comer bem” é sinônimo de não apenas se alimentar de modo adequado, mas de lazer, bem-estar, alegria e prazer. Nessa idade a gente também já tem as próprias tradições, aqueles lugares onde você já se sente em casa e lembra das idas com os amigos – e restaurantes – não apenas bares e botecos – já se tornam um desses espaços. Me sentir em casa depois de tanto tempo sem ir a esse restaurante me fez perceber que ele já se tornou uma tradição totalmente minha. Curte aí a página do Dali no Facebook pra ver mais fotos e se ligar nos horários e vai lá!