Cientistas descobrem nosso “timer do envelhecimento”

Cientistas italianos descobriram recentemente a proteína que ligaria o “timer” do nosso envelhecimento, ou seja, o elemento que “ligaria” o botão “está na hora de envelhecer” do nosso organismo. Trata-se de uma molécula chamada Tzap, que ligaria as extremidades de nossos cromossomos, área chamada de “telômeros”.

Todo mundo nasce com telômeros de tamanhos determinados, que vão ficando menores cada vez que as células se dividem. Quando esses telômeros, essas extremidades, ficam curtas demais, a célula não se divide mais e começa a envelhecer.

Esses movimentos precisam ser muito bem ajustados, tanto para que o corpo também perceba o que precisa ser renovado e regenerado na gente, quanto para que não haja o excesso e surjam tumores, por exemplo. A proteína Tzap assegura que a célula não se prolifere demais.

A descoberta, por enquanto, vai até aí. Mas, já pensou se os cientistas descobrem um meio de fazer com que a Tzap retarde esse processo de “quebra”, de diminuição dos telômeros, por exemplo? Será que assim também poderiam retardar o processo de envelhecimento ou mesmo ter um controle mais efetivo sobre células cancerosas? É ao pensar nisso que vemos quão grande é essa descoberta.

O corpo “ideal”

corpo ideal perfeito

Esse material não é novo, mas ainda e sempre pertinente. A mulher na foto é uma modelo. Um serviço de medicina online do Reino Unido pediu que designers de 18 países diferentes, em vários continentes fizessem um trabalho de photoshop sobre o corpo dela, transformando o corpo dela em “perfeito”, “ideal”, de acordo com as preferências daquele país. A foto acima é a original. Eis alguns dos resultados:

África do Sul - corpo pequeno, pele clara

África do Sul – corpo pequeno, pele clara

 

Argentina - tipo mignon

Argentina – tipo mignon

 

Venezuela - tipo miss, com longos cabelos negros

Venezuela – tipo miss, com longos cabelos negros

 

Espanha - mais magra e bronzeada

Espanha – mais magra e bronzeada

 

Estados Unidos - mais curvas, mais cintura, muito bronzeamento

Estados Unidos – mais curvas, mais cintura, muito bronzeamento

China - muito magra, pouca cintura, olhos grandes

China – muito magra, pouca cintura, olhos grandes

Ou seja, bem aquilo que a gente já sabia, mas teima em deixar pra lá: corpo ideal não existe: contextos e culturas fazem a diferença. E, mesmo dentro desses contextos e culturas, não tem sentido a gente achar que a gente deve cumprir tabelinhas de métricas disso e daquilo pra peito, cintura e quadris, né? Ainda bem que, à medida que o tempo passa a gente vai ficando mais consciente a esse respeito. Estão sentindo isso também, assim como eu?

Você vê todos os photoshops aqui.

Plástica pra quê? – Entrevista!

cirurgia plastica

Esta semana tive um papo bem interessante com o cirurgião plástico pernambucano Ernani Coelho Alencar. Como as cirurgias têm sido cada vez mais procuradas para corrigir alguns problemas ou retocar partes do corpo para que as pessoas sintam-se melhores consigo e, ainda, estão mais acessíveis, achei por bem trazer essa conversa pra cá. Até porque depois dos 40, de acordo com o próprio médico, temos um público que já sabe no que quer ou não mexer no corpo e com poder aquisitivo pra fazer essas intervenções.

cirurgião plástico ernani coelho alencar

Vamos à entrevista

O que as pessoas com mais de 40 anos normalmente buscam quando pensam em fazer cirurgia plástica estética?

Hoje em dia as pessoas, especificamente, as mulheres de 40 anos são muito diferentes do que eram há alguns anos. Elas têm muito cuidado com o corpo, frequentam academia e fazem dieta. Entre os 35 e 40 algumas estão no pós última gravidez, então querem “arrumar a casa”, cuidar do que ficou fora do lugar, tirar o excesso de pele. É quando muitas colocam próteses nos seios e fazem lipoaspiração, este último também bem comum entre os homens, que querem tirar aquela gordurinha que não sai com facilidade na academia. 

Entre os 40 e os 50 anos é um momento de transição, em que algumas começam a se preocupar também com o rosto. No corpo, continuam as lipo, mas algumas, quando colocam as próteses de mama também já fazem a mastopexia, que é suspender os seios.

Quanto custa, em média, fazer uma cirurgia plástica, hoje?

Depende do local, da extensão e do que vai precisar, mas hoje, com 20 mil reais você faz plástica do que quiser, mesmo as combinadas (cirurgia de mais de uma parte do corpo, como próteses + lipoaspiração). É bem mais acessível do que muitos pensam. 

O que você destacaria de diferente entre as pessoas de 40 anos de hoje de um tempo atrás?

Há pouco tempo quem tinha 40 anos parecia mais com uma pessoa de 50. Hoje quem está por volta dos 40 anos de idade se confunde facilmente com quem tem 30 anos, especialmente no corpo, já que se cuidam bem. Como se cuidam mais, a pele é melhor e os resultados das cirurgias também se mostram cada vez melhores. A próxima geração, que hoje está começando os 20 anos, deveria ficar mais atenta aos de 40 de hoje, porque o sedentarismo e a obesidade estão aí, então é melhor se ligar logo. 

Quais são os motivos que levam alguém a passar por uma cirurgia plástica estética depois dos 40 anos?

Porque querem se sentir bem consigo, vestir uma roupa provocante, por exemplo, e se sentir bem. Algumas dessas pessoas até quiseram fazer antes, mas não tinham condições financeiras ou mesmo diziam que seria melhor “esperar” – por exemplo, erradamente se dizia que só poderiam fazer algum procedimento de mamas depois que engravidassem e tivessem filhos, quando até podem fazer antes. Os homens hoje também têm menos receio de assumir a própria vaidade. 

Depois dos 40 começam a se preocupar com o rosto. Na verdade, depois dos 45 anos vêm preocupações com rugas, linhas de expressão, flacidez do rosto.

O que mudou nas cirurgias plásticas de rosto?

A forma de fazer as cirurgias mudou, as técnicas são diferentes, menos invasivas. Aliás, de modo geral, as cirurgias são menos traumáticas e de recuperação mais rápida. No rosto, a pele não fica tão esticada, os resultados são bem mais naturais do que eram há algum tempo. Não ficam todos com um rosto padrão de quem fez plástica, tem-se um resultado bonito e harmônico, que é o que todos querem. Não querem ficar parecidas como uma pessoa famosa, mas apenas melhorar o que são. 

Por onde normalmente começam?

Normalmente é por algo simples, que não é cirurgia, como o botox. Hoje talvez poque popularizou, há quem fale mal de botox, digam que se usa sem precisar, mas é algo fantástico, nem cirurgia tem resultados tão bons e pode ser feito a cada seis meses, sem problemas.  Depois partem para outras coisas, como levantar pálpebras. 

O que destacaria nesse público de 40 anos?

Homens e mulheres, quando chegam nessa idade, sabem que não têm obrigação de dar satisfação a ninguém – se quer fazer, faz, não precisa pedir autorização a ninguém e nem precisa da opinião alheia. O paciente faz a cirurgia porque quer o melhor para si, querem se sentir bem consigo mesmos. Se há algo que incomoda, vão a um cirurgião plástico e mudam. 

É isso, gente. Não entendam a entrevista como um incentivo para que façam cirurgias plásticas, mas apenas um esclarecimento de como estão as coisas hoje e o que outras pessoas de 40 anos têm feito. Se está feliz do modo que está hoje, maravilha! Se tem vontade de fazer uma plástica, procure um bom profissional, cheque todas as referências e vá.

É lembrar que isso não vai resolver todos os seus problemas e que seus 20 anos não voltarão assim – mas, afinal, nós somos #Novos40, não precisamos voltar no tempo, precisamos é viver bem conosco!

  • O cirurgião plástico Ernani Coelho atende no Recife e em Caruaru e Petrolina. Você acha os contatos dele aqui.

“Truque Kardashian” para sustentar os seios

kim-kardashian-2016

Esse post não é uma recomendação de truque pra “levantar os peitos”. É só um comentário sobre a “revelação” de Kim Kardashian, de que o segredo dela para deixar os seios no lugar quando usa decotes profundos é usar muita fita adesiva. Pode ser grudar no vestido ou mesmo colar a fita adesiva em um seio, passá-la por trás do pescoço e grudar a outra ponta da fita no outro seio (ou as duas pontas da fita nas costas), formando uma “sustentação”.

Sim, tem que ser uma fita forte (até porque tem silicone ali, então pesa mais) e deve doer pra desgrudar. Mas, enfim, ela vive de imagem e isso é importante pra ela, então provavelmente deve achar que vale o uso. Kim ainda não chegou aos 40 anos (tem 35),a força da gravidade talvez nem tenha começado a mostrar sua força, mas ela já teve uma filha, colocou silicone e…enfim, talvez já não tenha os peitos “para o alto e avante!”, como deseja. Então tá, cada um faz o que quiser com o corpo e não sou eu que vou julgar, mas confesso que achei engraçado.

Nunca fiz esse truque (obrigada, genética) – e, pelo que lembre, nem um outro do tipo, até por nem conseguir pensar em algo “criativo” assim. Alguém aqui já fez, pra parecer “bem na imagem”? Então compartilha ele aqui com as pessoas, gente. Vai que em algum momento a gente precise de um “hacklife” assim, né? Nunca se sabe. rs