Colágeno em forma de doces

Todo mundo sabe: colágeno é essencial! Cabelos mais bonitos, pele mais firme e elástica e unhas mais fortes estão entre os seus benefícios. Mas, com o passar dos anos, a carga natural de colágeno do nosso corpo vai diminuindo – mesmo antes de chegar dos 30 anos, acredite!

Aí dia desses comprando uns remédios na farmácia vi uns saquinhos de umas balinhas (confeitinhos) da Valda e comprei, pensando até que eram aquelas, já conhecidas, pra garganta. Só depois percebi que eram balas de colágeno. São gelatinosas, bem gostosinhas – dá vontade de comer tudo de uma vez. Pelo que li, não conseguem complementar todo colágeno diário que a gente necessita, não substitui alimentos, nem complementos passados por médicos, mas já dão uma boa ajuda pra fortalecer unhas, pele e cabelos. Curti bastante!

*Não lembro por quanto comprei

Novidades no mundo da beleza – Hairnor 2016

HAIRNOR 2016 glam

Se tem um mercado que vai bem no Brasil, mesmo com crise, é o de beleza, viu? Somos um povo bem vaidoso, e, se não dá pra comprar o mega produto novo pro cabelo, compra-se pelo menos um esmalte ou um sabonete diferente. Então é claro que os profissionais do segmento sempre têm que estar atrás de novidades em produtos e serviços para atender o cliente da melhor forma e conseguir a fidelidade dele. Por isso tudo, não é de estranhar o que vi na Hairnor, uma das maiores feiras de beleza do Nordeste, que aconteceu no último final de semana e segunda-feira, no Centro de Convenções de Pernambuco: uma multidão!

Cabeleireiros, maquiadores, barbeiros, esteticistas, representantes da indústria de cosméticos, donos de loja e, claro, muitos clientes finais, como eu e você, doidos pra saber o que está bombando nos bons salões e o que ainda deve vir por aí. Uma coisa bem bacana é que quase todos os estandes de produtos de beleza ou, por exemplo, chapinhas e secadores, tinham profissionais fazendo demonstrações na hora – aí a gente já tem uma ideia de resultados.

hairnor 2016 produtos

Entre as coisas que vi e mais curti:

  • Tem muitos produtos pra progressiva e tratamentos afins pra alisar, mas também encontrei muita coisa pra quem quer usar os cachos que lhes são naturais. Aliás, muitas meninas e meninos exibindo cachos e cabeleiras black pelos corredores e mostrando que sabem bem como cuidar das madeixas. Acho isso muito arretado!
  • Bem, tem quem goste dos fios mega-lisos mesmo e não vejo nada de errado nisso. Liberdade é cada um poder fazer o que bem entender das madeixas, afinal. Entre as coisas que vi pra se tornar “índia-seus-cabelos-nos-ombros-caídos” vi alguns “xampus que alisam“. Já tinha visto a propaganda de uma marca e ficava intrigada, de como um xampu, de passar no chuveiro, poderia fazer isso. Mas, não é assim. Trata-se sim, de um processo químico e tem que ser feito por um profissional. O diferencial é que está tudo em um produto só, o modo de aplicar é mais simples e eles são bem seguros. Então tá. Vê se não se arrisca a fazer sozinha.
  • Muitas cores para os cabelos que não eram, originalmente, “cor de cabelo”. Azul, roxo, verde…você pode ter um arco-iris na sua cabeça! Mas se quer usar uma “cor de cabelo”, também tem – inclusive vi vários produtos para quem quer assumir seus cabelos brancos e quer deixá-los num tom bonito, sem estar amarelado – esse fenômeno do tanto de produtos desse tipo também se deve à moda de descolorir os fios até ficarem acinzentados, que muita gente tem adotado.
  • Um serviço que tem se expandido é o de depilação a laser. Aliás, acho ótimo, porque TAÍ uma coisa que tenho vontade de fazer (como disse Rita Lee, ‘um dia quero ser índio”). Quanto mais clínicas dermatológicas e serviços de estética investirem em boas máquinas e bons profissionais, melhor pra gente: a tendência é que o preço se torne mais acessível para trabalhos de bons resultados.

A Hairnor durou três dias, mas eu só fui na segunda-feira, então é claro que ficou muita coisa de fora da minha observação. Eu queria, por exemplo, ter ficado mais tempo na área dos procedimentos estéticos, pra conversar melhor com quem estava por lá e ficar por dentro das novidades. Havia alguns estandes com vendas de produtos, mas comprei apenas alguns esmaltes e preferi pesquisar melhor sobre outras coisas de que gostei. De qualquer modo, valeu bastante a visita à feira. A organização da Hairnor diz que 40 mil pessoas devem ter visitado os estandes de 147 expositores, que trouxeram mais de 1300 marcas ao evento.

Cabelo cinza está na moda!

cabelo prata granny grey silver cinza cinzento hair

Já viram essa? A moda agora é ter o cabelo na cor cinza! Gente famosa e anônima tem aderido a esse estilo, adotando um tom meio “fumaça” às madeixas. Tem que ter uma certa ousadia mesmo, não acham? Tem cinza clarinho, quase grafite e até o branco branquíssimo mesmo. Alguns pintam o cabelo por completo e outras pessoas só fazem algumas luzes. O estilo é também conhecido como “granny hair”, ou seja: cabelo da vovó. Se você resolver aderir é bom estar alerta a alguns pontos:

  • Pra chegar ao tom cinza primeiro é preciso descolorir bastante o seu cabelo. Então é importante escolher um bom profissional e usar bons produtos, além de fazer um teste antes, em um cacho do seu cabelo, pra não correr o risco de ficar careca ou ter alguma alergia.
  • É muito fácil confundir luzes acinzentadas com cabelo que está começando a ficar grisalho. Isso não é problema algum, mas veja se é o que quer.
  • Como se trata de descoloração + tinta é preciso fazer hidratações intensas constantemente.
  • Existem xampus próprios para cabelos cinzentos – o mesmo para não deixar os fios brancos amarelados.

Pra quem acha que a moda só serve para gente novinha-moderninha que não tem um fio branco natural, olha aí essas fotos:

granny hair cabelo branco cabelos cinza grey

Bom, tomara que essa moda permaneça. Acho que pode ser bom para quem quer assumir os fios naturalmente embranquecidos sem um pingo de insegurança.

Um item cumprido na “lista pós 40”: voltei a ter cachos!

cabelo cacheado cabelos cacheados curl curled hair

Pouco depois de ter começado o Novos40, em fevereiro, publiquei aqui uma lista de coisas que eu tenho vontade de fazer depois dos 40 anos de idade. Lembrando: as listas “tenho que fazer até X idade” são bem comuns, mas preferi uma em que só tenho a idade do ponto de partida, mas não um limite. Quem não viu essa minha lista (que é bem boba e digo logo que vai ser cumprida – ou não – naturalmente, sem me forçar a coisa alguma).

Enfim, na lista tem “talvez deixar de ‘alisar’ os cabelos e voltar a ter (muitos) cachos”. Missão cumprida! Passei um tempão sem saber o que fazer com as minhas madeixas,  só sabia que não estava muito certa se queria continuar alisando (já havia mais de dez anos que fazia tratamentos como progressiva, escova inteligente etc.). Então resolvi voltar ao salão Unique, lá em Casa Forte, para as mãos de Ed Silva, um dos melhores cabeleireiros que já conheci na vida (aviso logo que não é #ad nem jabá, hein, é só recomendação mesmo). Analisa daqui e dali, muitos cortes e meus cachos reapareceram! Ele nem havia concluído ao trabalho e eu já gostava do que via.

Bem, isso foi há umas três semanas e, desde então, só escuto elogios. Gente dizendo o quanto ficou melhor, outros falando que fiquei com aparência muito mais jovem e até quem dissesse que também vai deixar o cabelo crescer, só para cortar os fios alisados e deixar os cachos reaparecerem, como eu fiz. Poderia ter retorno melhor que esse?

Só posso dizer que estou apaixonada pelo meu “cabelo novo”. Se um dia voltarei a alisar? Pode ser que sim. Farei o que for mais conveniente pra mim, mas, por enquanto, ficará do jeito que está. Foi algo bobo da lista? Talvez seja, mas para mim é um começo bem significativo.

Ah, eu aproveitei o dia com Ed, lá no Unique, para pegar material para dois posts: um sobre o que fazer quando os cabelos brancos começam a aparecer e outro sobre cortes de cabelo para quem tem mais de 40 anos de idade. Garanto que vem coisa boa por aí, podem aguardar esses posts!