Bohemian Rhapsody: pura emoção!

Se eu puder dar um “conselho cinematográfico” para você, fique com este: vá assistir o filme “Bohemian Rhapsody”, biografia do Queen e, mais precisamente, do vocalista Freddie Mercury. Vi na semana retrasada, logo que estreou e, desde então, pensei em dizer isso aqui no blog: simplesmente VÁ! Fui deixando pra depois e depois, mas, enfim…se gosta minimamente de alguma música do grupo, se sabe algo da história de Freddie, se curte rock, de forma geral ou se quer apenas ver como se dá o processo de construção do sucesso de uma banda, do seu início até o auge. Gostei demais!

O roteiro de Anthony McCarten mostra como os quatro componentes da banda se reuniram e seus altos e baixos, mas o foco está mesmo na vida de Freddie, desde quando era um desconhecido funcionário de aeroporto, passando pela sua evolução e sucesso, a extravagância nos palcos, os amores, o modo de viver (sexo, drogas, bebida), o momento que descobre que é portador do HIV e, claro, muitos shows.

Alguns críticos reclamaram do filme ser muito raso, pois eu digo que a vida de Freddie foi intensa demais pra caber em tão pouco tempo – não que seja um filme curto, mas simplesmente não dá pra se aprofundar demais (mas garanto que passaria ainda mais um bom tempo no cinema, pra ver mais do Queen). Como muitos já disseram, o ator Rami Malek está muito bem no papel do personagem principal. O filme é emocionante, deixa saudades e, evidentemente, é feito pra cantar junto – solte a voz, que provavelmente as outras pessoas que estarão na sala com você farão o mesmo. Recomendo.

Olha o trailer aí!