Rugas, anti-rugas e pró-rugas

Já até virou uma brincadeira entre algumas amigas e amigos meus: é comum que, quando alguém faz aniversário, uma pessoa diga “continue caprichando no Renew”, em referência ao produto antirrugas da Avon, super conhecido e, dizem, de ótimo resultado (eu usei há muito tempo, mas parei, então não sou boa pra dar esse testemunho).

Anti-rugas

E você, usa algum produto para tirar essas famosas marquinhas do seu rosto? Atualmente tenho usado o anti aging Effaclar Serum Lissant, da La Roche Posay. Faz pouco tempo, mas já sinto que a pele tem apresentado menos marcas – colaborando, nesse processo, o protetor solar e o fato de estar levando menos sol do que costumeiramente. Existem outros produtos e procedimentos no mercado para tirar ou, ao menos, amenizar as rugas – taí o botox, querido de tantos.

Rugas

Mas, entre minhas rugas, há algumas que eu digo “deixa aí”. Algumas marcam mesmo a passagem do tempo e me mostram que já sou uma pessoa com alguma experiência de vida. Outras, mostram preocupações – as muito sérias, talvez eu queira apagar. Outras, daqueles momentos em que me aperreei sem razão, também acho melhor apagar, pois meu rosto não as merece – e vou tentar de lembrar isso cada vez que um aperreio bobo quiser me pegar.

Pró-rugas

Mas uma coisa é certa: não vou apagar aqueles pequenos vincos formados pelas gargalhadas que dei até chorar, de quase fazer xixi na calça, dos momentos de alegria. O emprego novo, naquele lugar que você queria tanto trabalhar; uma “piada interna” entre você e amigos próximos; viver uma grande paixão…são tantos os motivos que fazem a gente sorrir largo e trazem rugas pra gente. Aí é só uma questão de escolha: você prefere que elas continuem em seu rosto, lembrando que, ao longo de sua vida, houve muitos momentos de felicidade ou acha melhor ficar com a pele lisa, incólume, como se nada a ser celebrado tivesse acontecido?