Curso mostra possíveis caminhos para o amor

Coisa que acho difícil é relacionamento amoroso, viu? Acho complicado bater aquele “tchananan” que faz com que aquela outra pessoa seja O tal alguém. Vim com esse assunto hoje por causa de umas perguntas que me chegaram por e-mail:

  • Você se casaria com você mesma?
  • Como anda sua energia, de 1 a 10?
  • Você é capaz de iniciar relacionamentos?

Foram só algumas das perguntas que chegaram e – olha – me colocaram pra pensar. Conhecer pessoas nem é tão complicado, mas estabelecer um relacionamento de fato, isso sim, pode ser mais difícil e pode despender um grande fluxo de energia para dar certo. É preciso que os envolvidos estejam com vontade que tudo dê certo. Aliás, é difícil explicar o que faz um relacionamento dar certo, não é mesmo?

Então fiquei bem curiosa em relação a um curso que vai acontecer em São Paulo no dia 27 de abril: o curso “Casa comigo?”. Numerologia, astrologia, ioga, meditação e outras práticas, sob comando da life coaching Ana Rezende, vão tentar ajudar a responder algumas dessas perguntas acima, entender como anda a sua vida em termos de relacionamentos amorosos e até tentar mostrar caminhos que possam ser seguidos. A frase-chafe do curso é bem instigante: “Nunca é tarde para encontrar o seu par perfeito” (e eu sempre lembro que “perfeito” aqui não é sem defeitos, mas com imperfeições e qualidades que combinam com as suas). Será, hein?

Interessante, não acham? Por mais que busquemos pelo raciocínio lógico, em certas coisas pode ser válido procurar explicações e caminhos alternativos, que são além-entendimento racional. Curti a ideia. Para se inscrever basta clicar aqui.

Curso Casa Comigo:
Data: 27/04/2017
Horário: 18h às 22h
Local: Rua Cláudio Soares, 72 – Conj 218 – Pinheiros – São Paulo/SP
Especialista: Ana Rezende

*Publieditorial

Babilônia: amor em qualquer idade

beijo babilônia fernanda montenegro natália timberg

Entre muitos assuntos que pipocam nas redes sociais – e como tem pipocado assunto! – um se tornou destaque desde ontem à noite: o beijo das personagens de Natália Timberg e Fernanda Montenegro, logo no comecinho da nova novela da Globo, Babilônia.Claro que o auê todo, com toda justiça do mundo, foi principalmente por ser a representação de um relacionamento gay, de longa data, por duas das maiores atrizes brasileiras.

 Mas esse casal também traz um outro tema bem relevante para a TV: o amor na terceira idade. Veja bem: as atrizes – e as personagens, creio – tem mais de 80 anos de idade e se beijam, trocam carinhos, andam de mãos dadas. Elas se amam! Lembrei que um dia desses, por acaso vendo BBB (não é coisa de “intelectual-não-vejo-BBB, é só porque no horário estou vendo CSI ou Criminal Minds mesmo rs) tinha uma das participantes dizendo que a pernambucana Mariza, que tem 51 anos não aguentaria mais uma noite de sexo “seria pra matar a velha”. Não sei de que planeta vem a menininha que falou isso, mas, se ela chegar aos 50, coitadinha.

Pessoas mais velhas, assim como as mais novas, amam, procuram amor, fazem sexo, se apaixonam e querem curtir tudo isso. Não há idade pra coisas assim! Espero que Babilônia coloque isso em evidência!

Imagem: GShow

Depois de tanto tempo, o amor

World Exclusive . Collection Traverso 65 years of the festival of Cannes

Quem disse que o amor não pode surgir depois dos 40 ou 50 anos de idade? Olha aí a Uma Thurman (44 anos) e o Quentin Tarantino (51) que não nos deixam mentir! De acordo com os sites pelo mundo afora, eles estão namorando, cheios de amor, depois de 20 anos de amizade. Sim, cada um teve seus romances, mas o “depois de tanto tempo” se refere a isso: um amor que surge depois de duas décadas como amigos!

Eles ainda trazem aquela máxima de que “o amor pode estar mais perto do que você pensa” (será? será?). Pois é: não há idade para começar um bom romance.

P.S. Eu poderia jurar que Tarantino e Urma estavam juntos desde sempre.