A idade certa para cada coisa?

O Business Insider publicou há poucos dias uma lista mostrando as atividades que estariam no auge, de acordo com cada idade. Ou seja: em que idade seria mais fácil realizar alguns feitos. Essa lista mostra uma media do que acontece, de acordo com pesquisas realizadas no Reino Unido e todas mostram um motivo. Pra ser mais clara, alguns exemplos:

  • Aos 7, 8 anos – aprender um novo idioma. Aprender uma segunda língua antes da puberdade, teoricamente, é mais fácil do que quando se é mais velho.
  • Aos 18, pico do processamento cerebral. 
  • As mulheres são mais atraentes para os homens quando estão com 23 anos
  • Aos 26, a melhor idade para se casar – porque nessa idade você já teria conhecido gente suficiente para isso e já teria escolhido o “com quem”
  • Os ossos ficam mais fortes aos 30
  • A habilidade para reconhecer rostos tem seu pico aos 32
  • Agora a nossa idade: é aos 40 anos que a maioria dos vencedores do prêmio Nobel fazem as suas grandes descobertas
  • Entre os 40 e os 50 anos de idade é que você reconhece melhor as emoções de outras pessoas, bastando apenas olhá-las
  • O melhor de todos: o pico da satisfação com a vida se dá aos 69. A pesquisa diz que as pessoas de 60 são mais satisfeitas do que as de 50.

De novo: a lista foi feita baseada em pesquisa científicas e mostra com que idade várias atividades atinge seu auge. Mas isso não significa que a gente não possa ter excelência em alguma coisa, mesmo estando “fora da idade”. Um tanto de dedicação aqui, uma ingestão maior de cálcio e vitaminas acolá e bastante empenho garantem o resto. A melhor idade pra cada coisa também depende de você.

A lista completa está aqui.

Como se tornar um “SuperAger”, a “Super Pessoa de Idade”

Elderly in superhero costume isolated on white background

Existe um determinado grupo de pessoas que os cientistas estão chamando, principalmente nos Estados Unidos, de “superager”, ou seja, os super “pessoa de mais idade” – pessoas mais velhas, mas com características superiores. O neurologista Marsel Mesulan diz que os superagers não são pessoas apenas que têm boa memória ou uma mente um pouco acima da média pra idade, mas que estão no mesmo nível de jovens de 25 anos que estão plenamente em forma!

Outra neurologista, Lisa Feldman Barret, estudou 17 desses “superagers” (acima dos 65 anos) e descobriu que partes do cérebro deles, em comparação ao cérebro de pessoas “normais” da mesma idade, eram mais espessas, mais grossas mesmo. Essas áreas, poderia se imaginar que seriam ligadas ao raciocínio, ao cognitivo, mas, na verdade, são  o sistema límbico e o lobo da ínsula, regiões do cérebro responsáveis pelo emocional! Isso já mostra o quanto questões como “obstinação”, “vontade” e “garra” contribuem que se forme esse superager.

Mas, como se tornar uma super-pessoa-de-idade? Depois de se descobrir que essa área responsável pelo nosso emocional também é responsável pelo estresse, linguagem, funcionamento dos cinco sentidos e até regulação dos órgãos internos, os cientistas foram adiante. Os cientistas ainda estão estudando que atividades realmente funcionam para que a pessoa se torne um “super”, tenha um super cérebro e um super físico, mas algumas coisas já são apontadas:

  • Exercícios vigorosos – até deixar exausto mesmo
  • Atividades mentais quase extenuantes (como problemas matemáticos)

Pois é, nada fácil. Os cientistas mesmo dizem que é comum que o caminho para se tornar um “super” seja difícil demais para a maioria, que grande parte sinta-se cansado demais e até frustrado. Mas os estudiosos também dizem que essa “dor” seria a construção dos músculos, mesmo os mentais.

Então as palavras cruzadas e o Sudoku não bastam, tem que ir até não suportar mais…e prosseguir, sem desistir. Aprender um novo idioma ou aprender música seriam bons exercícios para o cérebro. Nadar e correr, para o corpo. E, assim, você começa a construir uma camada mais “casca grossa” no seu cérebro, e, talvez, torne-se também uma super-pessoa-de-idade. A dica é começar já!

No site do Journal Neuroscience você vê o estudo completo.

No site do The NY Times você vê um bom resumo sobre o assunto.

(ambos em inglês – pra já começar a exercitar o cérebro rs).

Papo de 40

É isso que acontece quando você junta amigos que têm 40 anos de idade pra falar sobre…ter 40 anos de idade hahahaha! A gente falou sobre dores, problemas de visão, cabelos brancos, ter humor com a gente mesmo e, claro, riu pra caramba! Dá uma olhada pra ver como foi. O papo foi transmitido ao vivo na fanpage do blog. Curte lá!

Jennifer Aniston e a eterna cobrança

aniston-jennifer 45 anos

Estava dando uma lida nessa matéria no site da Vanity Fair, sobre a atriz americana Jennifer Aniston, do fato de ela e o ex-marido Brad Pitt se desejarem “good wishes” (bons votos) em tudo que fazem e tal.. Mas o que me chamou atenção mesmo foi o lamento do começo da matéria, de que mesmo que ela ganhasse o Oscar e descobrisse a cura para várias doenças, entre outras coisas, os repórteres continuariam perguntando sobre duas coisas: o relacionamento com Brad Pitt e o fato de ela ainda não ter filhos.

A própria atriz se diz frustrada: “isso é continuamento dito sobre mim, que eu sou tão direcionada à minha carreira, tão focada em mim mesma que eu não quero ser mãe e quão egoísta é isso(…) Eu não gosto (da pressão) que as pessoas colocam sobre mim, sobre as mulheres- de que você teria falhado como fêmea se não tiver procriado”*.
Imagino que as cobranças sejam muitas mesmo, principalmente com gente dizendo “mas ela já tem 45 anos, tem que correr com isso de ter filhos!”. É possível que muita gente (especialmente mulheres, pela questão biológica mesmo), assim como a Jennifer Aniston, já tenham recebido as mesmas cobranças, porque parece que não basta ser  honesta, estar bem, curtir o seu momento…cobram que “é preciso” casar e ter filhos.
Veja só: tem quem não queira isso para si e está tudo bem. E tem quem queira, mas ainda não conseguiu, por qualquer motivo que seja – e, neste caso, já bastam as pressões internas.Se é assim para as “pessoas comuns”, imagina para ela que é famosa e está na mídia o tempo todo! Agora, veja só: ela é bem-sucedida, linda, dizem ser simpática, tem novos projetos…tão a cara da geração #Novos40, mas tem gente que só foca no que não está no “pacote”.
Sabe de uma coisa? Não é porque alguém me cobra que eu já deveria estar casada e ter um filho que vou sair por aí enloquecida, colocar um “procura-se marido” ou engravidando de um cara qualquer. Quando for o tempo, será. Se não acontecer, não acontecerá. E se isso me frustar muito, aprenderei a lidar, como aprendi tantas outras coisas ao longo da vida. Então é isso: Jen, te entendo, amiga. #tamojunta!