Curso mostra possíveis caminhos para o amor

Coisa que acho difícil é relacionamento amoroso, viu? Acho complicado bater aquele “tchananan” que faz com que aquela outra pessoa seja O tal alguém. Vim com esse assunto hoje por causa de umas perguntas que me chegaram por e-mail:

  • Você se casaria com você mesma?
  • Como anda sua energia, de 1 a 10?
  • Você é capaz de iniciar relacionamentos?

Foram só algumas das perguntas que chegaram e – olha – me colocaram pra pensar. Conhecer pessoas nem é tão complicado, mas estabelecer um relacionamento de fato, isso sim, pode ser mais difícil e pode despender um grande fluxo de energia para dar certo. É preciso que os envolvidos estejam com vontade que tudo dê certo. Aliás, é difícil explicar o que faz um relacionamento dar certo, não é mesmo?

Então fiquei bem curiosa em relação a um curso que vai acontecer em São Paulo no dia 27 de abril: o curso “Casa comigo?”. Numerologia, astrologia, ioga, meditação e outras práticas, sob comando da life coaching Ana Rezende, vão tentar ajudar a responder algumas dessas perguntas acima, entender como anda a sua vida em termos de relacionamentos amorosos e até tentar mostrar caminhos que possam ser seguidos. A frase-chafe do curso é bem instigante: “Nunca é tarde para encontrar o seu par perfeito” (e eu sempre lembro que “perfeito” aqui não é sem defeitos, mas com imperfeições e qualidades que combinam com as suas). Será, hein?

Interessante, não acham? Por mais que busquemos pelo raciocínio lógico, em certas coisas pode ser válido procurar explicações e caminhos alternativos, que são além-entendimento racional. Curti a ideia. Para se inscrever basta clicar aqui.

Curso Casa Comigo:
Data: 27/04/2017
Horário: 18h às 22h
Local: Rua Cláudio Soares, 72 – Conj 218 – Pinheiros – São Paulo/SP
Especialista: Ana Rezende

*Publieditorial

Três “Modas” atemporais

Eu curto moda, mas não sou a que vive mudando todo o guarda-roupa a cada estação…nem tenho grana pra isso, nem teria paciência. Como a maioria das pessoas, repito roupas e tenho umas peças-coringa. Aliás, tem umas pecinhas que, ao longo do tempo, a gente vai percebendo que sempre tem que ter mesmo, porque vai salvar a gente naqueles dias de não saber o que vestir, mas também porque conseguem combinar, como poucas coisas, o “vestir bem” com o “fazer sentir bem”. Fiz uma listinha bem rapidinha, com três delas, pra ver se vocês concordam comigo:

calca-jeans-de-corte-reto

camisa-branca-moda

chinelos

Percebam três coisas aqui nessas “modas” que estou citando:

  1. Elas servem para mulheres, homens, trans, enfim, pra todo mundo, sem distinção de gênero.
  2. Não citei grifes, porque você encontra de várias marcas, com vários preços, com muita facilidade. Veja esses itens como investimentos, porque você vai usá-los, com toda certeza.
  3. Essas “modas”, além de ser lindas, privilegiam um item que acho essencial, especialmente quando vai passando o tempo e a gente começa a “sentir” mais o nosso corpo, digamos assim: conforto. Que sensação boa, a de sentir-se bem dentro da própria roupa!

Você encontra esses “itens de moda” em lojas do shopping, lojas do centrão, em lojas online (fique ligado, há várias ótimas, inclusive com descontos ótimos, como esta aqui) e afins. Ficar bem e sentir-se bem, este é o cerne da questão, isso é estar na moda.

Imagens das artistas: Pinterest