Jennifer Aniston e a eterna cobrança

aniston-jennifer 45 anos

Estava dando uma lida nessa matéria no site da Vanity Fair, sobre a atriz americana Jennifer Aniston, do fato de ela e o ex-marido Brad Pitt se desejarem “good wishes” (bons votos) em tudo que fazem e tal.. Mas o que me chamou atenção mesmo foi o lamento do começo da matéria, de que mesmo que ela ganhasse o Oscar e descobrisse a cura para várias doenças, entre outras coisas, os repórteres continuariam perguntando sobre duas coisas: o relacionamento com Brad Pitt e o fato de ela ainda não ter filhos.

A própria atriz se diz frustrada: “isso é continuamento dito sobre mim, que eu sou tão direcionada à minha carreira, tão focada em mim mesma que eu não quero ser mãe e quão egoísta é isso(…) Eu não gosto (da pressão) que as pessoas colocam sobre mim, sobre as mulheres- de que você teria falhado como fêmea se não tiver procriado”*.
Imagino que as cobranças sejam muitas mesmo, principalmente com gente dizendo “mas ela já tem 45 anos, tem que correr com isso de ter filhos!”. É possível que muita gente (especialmente mulheres, pela questão biológica mesmo), assim como a Jennifer Aniston, já tenham recebido as mesmas cobranças, porque parece que não basta ser  honesta, estar bem, curtir o seu momento…cobram que “é preciso” casar e ter filhos.
Veja só: tem quem não queira isso para si e está tudo bem. E tem quem queira, mas ainda não conseguiu, por qualquer motivo que seja – e, neste caso, já bastam as pressões internas.Se é assim para as “pessoas comuns”, imagina para ela que é famosa e está na mídia o tempo todo! Agora, veja só: ela é bem-sucedida, linda, dizem ser simpática, tem novos projetos…tão a cara da geração #Novos40, mas tem gente que só foca no que não está no “pacote”.
Sabe de uma coisa? Não é porque alguém me cobra que eu já deveria estar casada e ter um filho que vou sair por aí enloquecida, colocar um “procura-se marido” ou engravidando de um cara qualquer. Quando for o tempo, será. Se não acontecer, não acontecerá. E se isso me frustar muito, aprenderei a lidar, como aprendi tantas outras coisas ao longo da vida. Então é isso: Jen, te entendo, amiga. #tamojunta!