Que tal Idris Elba como novo Bond?

Rumores dão conta de que o inglês Idris Elba está super cotado para fazer o próximo James Bond, agora que Daniel Craigh se aposentou do personagem. O ator de 44 anos, que também é DJ e produtor musical, é conhecido pelos seus papeis nas séries Luther e The Wire. Talentoso, já se sabe que ele é. Além disso, como se sabe, James Bond é um personagem que evoca charme e isso, convenhamos, Idris Elba tem de sobra – é considerado um dos atores mais sexies da atualidade.

O que você acharia dessa escolha?

Dia da Mulher – Links Interessantes

O dia é de luta, conscientização, de entender que somos mais e que temos que exigir o que deve ser nosso: respeito, espaço, direito de ser o que quiser. Reuni alguns links que encontrei hoje e achei interessante compartilhar com vocês, sobre o tema:

É isso. Que sigamos na nossa jornada e que possamos mesmo ter, um dia, o 08 de março como uma data para celebrar conquistas.

Aplicativos pra usar no carnaval

Seja pra ir pra folia ou pra curtir o descanso, o período de carnaval é sensacional! Então eu trouxe uma listinha de aplicativos que podem ser bem úteis nesse período. Olha aí:

  • PE no Carnaval – pra quem está por aqui e quer ver qual é a boa do dia. Assim ninguém perde o local e horário dos blocos. Pra quem está em Belo Horizonte também tem app, assim como no Rio.
  • 99 Táxis – Está com uma promoção MARA no carnaval, com desconto de 15 reais em três corridas. Pra sair dos blocos é um pouco complicado, mas pra IR pra folia é sensacional. Além dele, também tenho instalado o Easy Taxi e o Uber, afinal, ter opções é importante.
  • Conta coletiva – pra quem está dividindo casa com amigos ou vai fazer um churrasco com a turma esse é bom pra dividir a conta, sem dores de cabeça.
  • Churrascômetro – falando em churrasco, esse ajuda a saber as quantidades de suprimentos a serem compradas, de acordo com o número de pessoas
  • Happn – pra saber quem são as pessoas que cruzaram seu caminho…vai que rola, né?

Aproveite a folia!

Oficina do Sabor e Varanda lançam pratos da Boa Lembrança

Comer um prato gostoso e ainda levar pra casa uma lembrança que faça alusão àquela comida. É assim a dinâmica da associação da Boa Lembrança, que reúne restaurantes de várias partes do Brasil. Eu acho bem bacana, depois de comer algo bom levar pra casa o prato (louça) pintado com os ingredientes, assim nunca esqueço o que comi naquele lugar.

Camarão ao Coco Oco, do Oficina do Sabor

Esta semana teve um lançamento dois-em-um, de dois (ótimos) restaurantes, de uma vez só: o Oficina do Sabor, em Olinda, e o Varanda, que fica em Fernando de Noronha. Por questões de logísticas e pela amizade dos chefs das duas casas, César Santos e Auricélio Romão, o evento aconteceu no Oficina. O prato deste, aliás, é delicioso: Camarão no Coco Oco, fruto de experiências que César fez com a fruta ao longo dos últimos meses. Leva camarões, molho de coco do chef, legumes e é acompanhado por arroz de curry e purê de banana comprida (da terra).

Santo’s Santos Cesar, do restaurante Varanda

O prato de Auricélio para o Varanda já mostra a que veio antes mesmo da gente saborear: que perfume maravilhoso! O “Santo’s Santos Cesar” é uma homenagem que o chef faz ao amigo César Santos e traz uma releitura de pratos com peixes envolvidos na folha de bananeira que se encontra em Noronha: papillote de filé de peixe e camarão sobre cama de banana comprida e tomate, ao molho perfumado com leite, gengibre e curry. Sabor delicado e uma sensação de estar sendo maravilhosamente perfumada por dentro.

Tanto aqui no continente quanto lá no arquipélago há uma certeza: os pratos comprovam, mais uma vez, que os dois chefs são mestres na alquimia dos aromas e sabores.

A preguiça que os 40 trazem – opinião

Quarenta e dois, quase 43 e uma certa preguiça. Nem me refiro àquela vontade de não fazer nada, de ficar em casa vendo Sessão da Tarde enquanto come pipoca – essa até existe também, mas aqui o assunto é outro: é uma certa preguiça de ir contra. Durante boa parte da vida fui a que se sentia na obrigação de mostrar a opinião, entrava na discussão disposta a vencer, pela razão ou pelo cansaço.

Hoje o cansaço me vem primeiro. Quando penso no tempo que vou perder, no estresse que talvez tenha, na energia que aquilo tudo vai me demandar…dá uma preguiça medonha! Tem que valer a pena, tem que ser algo que valha (para mim) dar a opinião, tenho que ter motivação pra discussão, ou, se não, apenas não.

Nem sempre isso funciona, é certo. Ainda me meto em umas barcas furadas. Mas já saí de tantas outras movida por essa preguiça. Claro que, com isso, ouvi muitos absurdos fazendo apenas a minha melhor cara de “não vale a pena” e deixei de expôr vários pontos de vista.  Nada muito importante, evitei o enfado. Talvez essa preguiça que a casa dos 40 anos tragam não seja realmente preguiça, afinal. Pode ser apenas que seja a maturidade, chegando de forma enviesada e disfarçada, junto com mais humor, que me faz relevar mais coisas e deixar passar. Vale observar e deixar ser.

Wendy Ida, em forma aos 64, começou depois dos 40

Se você é daquelas pessoas que vê alguém super em forma e logo imagina que aquele ser deve ter se exercitado a vida inteira, talvez desde a adolescência, e não adiantaria nada começar agora, convido a conhecer Wendy Ida.

A canadense de 64 anos tem um corpão e saúde de dar inveja a muito jovenzinho e é bem comum que achem que ela tenha até 30 anos a menos do que a idade real dela. O detalhe é que Wendy só começou a se exercitar e seguir uma dieta mais saudável a partir dos 43 anos de idade, depois de ter passado por um relacionamento abusivo.

Entrou de cabeça nessa rotina saudável e o resultado é a conquista de oito títulos em competições de fisiculturismo e hoje é instrutora em uma academia. Dieta rígida, com muita proteína, e pelo menos duas horas de exercícios, diariamente.

Quem quiser, pode acompanhar o Instagram de Wendy para seguir o exemplo. Ela mesma diz: ““Quero ser uma inspiração para todos que dizem ‘Eu estou muito velho e não posso fazer”. A cara do #Novos40, não acham? Então vamos mexer, gente!

P.S. Tudo isso pra celebrar o fato de eu ter voltado à ioga ontem e, digo, foi super puxada, com muitos alongamentos, força e equilíbrio. Espero não abandonar desta vez. ;)

Bridget Jones vai ter um Bebê!

bridget-jones-gallery-01

Fui ver o novo filme de Bridget Jones, O Bebê de Bridget Jones” e, devo dizer: fui com um pé atrás, porque quando li o último livro da série, “Bridget Jones: Louca pelo Garoto” (Helen Fielding), eu não curti, perdi um pouco do encanto pela nossa querida jornalista britânica, sabe? Mas, enfim, recebi o convite pra ir à cabine de jornalistas do filme e recuperei todo o amor, carinho e amizade por Bridget, essa nossa amiga querida, que bem poderia ser uma leitora do Novos40, já que tem 43 anos.

bridget-jones-gallery-06

Enfim, fiz uma listinha de dez impressões, pensamentos e outras coisas bem minhas sobre O Bebê de Bridget Jones:

  1. O filme não tem um roteiro baseado em livros Bridget. É como se fosse feito nos  “livros apócrifos” a respeito Jones. Portanto, você não vai ter lido sobre essa fase, o que é bem bacana, pra se surpreender – como se algumas coisas não fossem bem previsíveis em comédias românticas, né?
  2. Príncipe encantado, que não tem título de nobreza, mas é rico pra danar e que coloca sapatinho no pé e tudo? Só mesmo numa comédia romântica! Se ele for Patrick Dempsey, ainda…eitAH!
  3. O descaso com que ela trata a profissão no livro “Bridget Jones e o Garoto” é o mesmo de “O Bebê de Bridget Jones”…e não acho que é por também ser jornalista, mas por saber quanto valorizo ter meu próprio dinheiro, mas isso me irrita na personagem, desde sempre.
  4. Continuo querendo ser amiga dos melhores amigos de Bridget – e dela, claro.
  5.  Bacana o modo como os possíveis pais do bebê de Bridget  (e o pai dela) a tratam, nesse imbroglio – confesso que esperava, já com pedras nas mãos, algo mais machista de Mark Darcy – que, aliás…
  6. Mr. Darcy, que evolução, hein…envelhecendo com a mente bem melhor, ahn? Tô curtindo…
  7. Também quero fazer um camping, ou melhor, um glampimgo tal acampamento com glamour (glamour + camping = glamping). Ridículo, eu sei, mas e daí? Depois dos 40 adoraria me dar esse luxo, isso sim! Aliás, falei sobre esse tipo de acampamento em um post antigo aqui no blog, viu?
  8. Não fui a única do cinema a rir de me acabar. Todo mundo que estava no cinema se acabou em gargalhar. :D
  9. Ok, preciso confessar: me emocionei em várias cenas e até caíram algumas lágrimas. Lembrei do namorado que foi ao cinema comigo assistir o primeiro Bridget Jones e eu achava ser meu Mr. Darcy, em 2001 (o namoro acabou no ano seguinte), lembrei dos diários que tive, da possibilidade de ser uma quarentona solteira e…caíram lágrimas.
  10. Enfim, lembrei que ano que vem farei 43 anos, idade da personagem, que, no filme está grávida e eu não tenho filhos e nem sei se quero tê-los!  Mas o filme, no final de contas, é sobre um novo passo na vida da personagem.

bridget-jones-gallery-05

É isso: compre o pacotão de pipoca e vá curtir a jornalista britânica mais amada, que agora também é #Novos40: aos 43 anos, O Bebê de Bridget Jones é bem filme mesmo, totalmente irreal,, comédia romântica boa de assistir, que a gente queria que acontecesse, pelo menos uma partezinha e é pra se divertir, não pra analisar. Estreia na próxima quinta-feira (29) nos cinemas. A diversão é mais que garantida!

Fotos: Divulgação

Impressões sobre a Casa Cor Pernambuco

Há anos eu não visitava a mostra Casa Cor Pernambuco – edição estadual da maior mostra de decoração e arquitetura do país. Este ano, aqui no Recife, ela está em um casarão do século XIX, no elegante bairro das Graças, zona norte da capital pernambucana. Visitei a casa na semana passada e devo voltar outras vezes, pra rever detalhes, mas resolvi enumerar coisas que me chamaram mais atenção num primeiro momento:

  • O dourado voltou com tudo! Está nas torneiras, luminárias, lustres, almofadas e até em papeis de paredes. Vai dos tons mais discretos àqueles bem suntuosos, pra não deixar dúvidas que quer reinar. Mas, ao contrário do que possa parecer, não ficou over nem brega, está bem dosado em quase todos os ambientes, de modo elegante e sofisticado.
Ambiente de Zezinho e Turíbio Santos na Casa Cor (foto: fanpage do escritório dos arquitetos)

Ambiente de Zezinho e Turíbio Santos na Casa Cor (foto: fanpage do escritório dos arquitetos)

  • Enquanto muitos arquitetos e decoradores parecem ter medo de pesar na mão, e acabam optando pelo clean excessivo, Turíbio e Zezinho Santos – que trabalham juntos pela primeira vez na Casa Cor – trazem um ambiente quase kitsch. Veja isso como um elogio, pois senti o lugar como divertido, com sentimento, com cores, daqueles onde você até esquece que está numa mostra de decoração e é capaz de tirar os sapatos, sentar no tapete, encostar no sofá de estampa de samambaia e ficar escutando música e batendo um papo, de boas.
  • Não tem ambiente “fraco”. Se fosse uma competição seria bem difícil escolher um melhor. Todos se esmeraram em fazer o melhor.
  • Muitos ambientes têm sistema de automatização. Telões que parecem descer de lugar nenhum, aparelhos que podem ser programados para ligar e ser desligados antes mesmo que eu chegue em casa, temperatura do jeitinho que a quantidade de convidados que está na casa pede…enfim, uma gama de possibilidades que até pouco tempo atrás era inimaginável e que pode nos trazer muito conforto, comodidade e até segurança. Uma dessas empresas é a Morhar, que está em nada menos do que oito ambientes da Casa Cor Pernambuco! Vale curtir a página da empresa! ;)
  • Eu moraria lindamente no loft do hóspede de Humberto e Analice Zírpoli.
Foto: Gleyson Ramos para Casa Cor (fanpage Casa Cor)

Foto: Gleyson Ramos para Casa Cor (fanpage Casa Cor)

  • Os jardins da casa estão cheios de várias obras de arte popular que são do acervo pessoal do arquiteto Carlos Augusto Lira. Não é a todo momento que se tem o privilégio de ver essas peças, portanto, aproveite.
  • Falando nisso, o Sebrae está com uma loja para venda de obras de arte de artistas plásticos pernambucanos, dentro da Casa Cor. Talvez você perceba algo diferente algo do que está acostumado em relação a arte popular: peças contemporâneas. Desejei várias coisas por lá.
  • A Casa Cor é uma mostra que reúne arquitetura, decoração, paisagismo e tem vários outros profissionais envolvidos – pedreiros, marceneiros, artesãos, encanadores…fiquem atentos aos detalhes.

A Casa Cor está aberta ao público, com ingressos a 38 reais (19 reais a quem paga meia entrada). Mais que uma mostra de decoração, é sobre como vivem pessoas, é também para despertar ideias criativas e até para despertar também novos modos de pensar nosso jeito de viver – afinal, é sobre isso também que trata esse blog, não é? Veja mais na página da Casa Cor Pernambuco no Facebook.

50 Tons Mais Escuros: O que Virá por aí?

O que acharam do trailer, lançado esta semana, do filme 50 Tons Mais Escuros, a sequência de 50 Tons de Cinza?

Já deu pra sentir um pouco do que vem por aí, né? Grey doidinho pra reconquistar Anastasia. Mas é aquela coisa, né? Parem com o exagero, trata-se um filme legal e divertido,mas é um romance quase romântico mesmo, do tipo príncipe encantado e mocinha pobre, historinha de amor um tiquinho apimentadinha, com aquelas dosezinhas de ciúme, insegurança e afins de livros estilo Sabrina/Bianca, bem antiquados, mas bacaninhas e sacaninhas.

Paremos de querer analisar e dizer que é o ápice da safadeza. Apenas curta, se divirta, É isso. Que venha o sr. Grey!

P.S. Relembre aqui o que escrevi quando o primeiro filme da série foi lançado.

“Vovós do grafite”

10457882_435476329927602_5271342858807936921_n

Ah, aquele barulhinho bom de estereótipo sobre idade sendo derrubado! Olha essas senhorinhas e senhorzinhos aí arrasando no grafite! Grafiteiras, aquilo que normalmente se associa a pessoas bem jovens. Elas fazem parte do projeto LATA 65, workshop de arte urbana para idosos, um movimento que surgiu em Portugal em 2012, mas já aconteceu em outros países, como Espanha e até mesmo aqui no Brasil.

Para as aulas, tem o público mais jovem que ensina a essa turma mais velha a história do grafite, conceitos, explicações sobre cores e técnicas e aprender a diferenciar grafite de outras intervenções urbanas. Depois disso, claro, a parte prática, levando a arte urbana às ruas e pintando murais. Um jeito bacana de aproximar gerações, de mostrar que idade é só um número, que tem muita gente disposta por aí, de afastar o preconceito de idade e, ainda, de levar cores às ruas.

Bacana, né? O LATA 65 tem uma página no Facebook, com todas as informações e novidades sobre o projeto. E se você, aos 40, já pensou em aprender a grafitar, mas achava que poderia ser tarde demais, que esse post sirva como um incentivo. :)

Imagem: pic by _ Rui Soares // Photography, fanpage LATA 65