Banco de Currículos para +50

Quanto mais velho, mais difícil conseguir uma colocação no mercado de trabalho. Convenhamos: a realidade é essa. Mas essas pessoas podem ter muito a acrescentar às empresas, com a sua experiência, vontade de mostrar trabalho e conhecimentos adquiridos ao longo do tempo. É bom para as empresas e para as pessoas, que se mantém motivadas (não são raras as histórias de pessoas que têm um declínio rápido da saúde assim que deixam de trabalhar).

Então, para juntar essas pessoas mais maduras, com bom currículo, e empresas eis que surge a MaturiJobs, plataforma de currículos voltada para pessoas que têm mais de 50 anos de idade. Os ‘Novos40″ ainda não estão lá, mas é bom lembrar que não está tão longe assim, né? Achei a ideia sensacional! Vale dar uma olhada. Empresas também podem se cadastrar para receber esses profissionais.

P.S. Aproveitando o tema, olha outro banco de currículos bacana: o Contrate uma Mãe é voltado para as mães que querem voltar ao mercado de trabalho. As empresas que se dispõem a contratá-las também podem se cadastrar. Bacana, não acham?

Pessoas mais velhas e o mercado de trabalho

Um texto recente do Fórum Econômico Mundial – Weforum – mostra que a pirâmide da idade para o mercado de trabalho está se invertendo: com o avanço da idade da população mundial, os 50 anos, que eram vistos como um “pôr-do-sol”, ou seja, quase a reta final para a vida produtiva de uma pessoa, hoje é vista como um ponto de partida para novas jornadas. Isso tem acontecido de modo muito evidente em países desenvolvidos: pessoas mais velhas que continuam trabalhando, normalmente. No Reino Unido a população de 60 anos de idade em postos de trabalho é crescente.

É uma questão lógica, que vem com o envelhecimento da população: de novo no Reino Unido calcula-se que 12 milhões de pessoas devam se aposentar entre os anos 2012 e 2022, mas só sete milhões ocuparão esses postos de trabalho. Além disso, as taxas de natalidade se mantêm baixas. No Japão, país com a maior expectativa de vida, também há uma batalha pra preencher esses postos de trabalho com jovens.

Solução: algumas empresas estão procurando manter os funcionários mais experientes. Alguns se aposentam, mas continuam trabalhando. Falamos aqui de trabalho altamente qualificado mesmo! Pela mesma alta capacidade apresentada, também vem aumentando a quantidade de empreendedores mais velhos – pessoas que a partir dos 50 começam a montar as suas próprias empresas. As empresas estão acompanhando a mudança demográfica: para uma população mais velha e capacitada, que pode suprir os espaços nos postos de trabalho, dá-se melhores condições e benefícios. Pelo menos é o que acontece nos países mais desenvolvidos.

O texto completo do Weforum você vê aqui.

Os estagiários de 40 anos

estagiario

O post não é sobre aquele filme “O Senhor Estagiário”, sobre o qual escrevi há tempos, mas sobre a vida real: com a crise e a falta de empregos, tem muita gente de 40 anos de idade ou mais conseguindo vaga de estagiário em empresas. Um recomeço mesmo, novos caminhos. Vi o assunto esta semana em uma matéria no Bom Dia Brasil, não sei se vocês acompanharam – vale dar uma olhada.

Muitas empresas têm visto os “quarentões” como vantajosos porque têm vontade de aprender, têm garra, responsabilidade, tranquilidade e não “acham que sabem de tudo”, como muitas pessoas mais jovens. Já são milhares de estagiários com mais de 40 anos em todo o país. Bem, como tudo que existe, a novidade tem coisas boas e ruins:

Os salários são mais baixos (e o mercado quer pagar menos a pessoas com boa experiência, sejamos claros), mas pode ser um “abre portas” para um emprego, um despertar para uma nova carreira. E, em tempos de crise, uma saída para um dinheiro extra, afinal. A matéria do Bom Dia Brasil foi feita a partir de uma pesquisa do CIEE. O vídeo completo da matéria sobre estagiários com mais de 40 anos pode ser visto aqui.

Milionárias depois dos 40

piscina-de-dinheiro

Há dias estou com essa matéria que li no Mail Online (jornal britânico) pra repercutir aqui, sobre três mulheres que ficaram milionárias depois dos 40!

Uma é Belinda Grashion, que, aos 41, mãe solteira, vivia de coletar benefícios e fazia massoterapia em meio expediente. o dinheiro não era suficiente nem pras filhas irem nos passeios da escola. Ela, que nunca havia trabalhado, participou de um workshop e passou a trabalhar no setor imobiliário, pegando casas que estão com hipotecas vencidas, valorizando-as e repassando-as a valores mais altos (ou algo assim). Deste modo construiu uma fortuna em apenas quatro anos e, hoje, aos 56, gaba-se das casas milionárias, dos carros que tem e das viagens que faz.

Outro exemplo é Bernadette Doyle, 41 anos, ficou milionária como uma espécie de consultora., ensinando pessoas a maximizarem seus lucros mexendo em aspectos dos seus negócios online. Hoje ela tem uma vida confortável, faz parte de um grupo de consultores empreendedores e leva os filhos em viagens ao redor do mundo.

O terceiro exemplo é Geeta Sidhu-Robb, mãe de três, dona de uma empresa de comida saudável. Já trabalhou como advogada, morou de favor, com os filhos, na casa de amigos e já chegou a parar em um hospital, de pura exaustão. Pra poder trabalhar de casa, começou a fazer comida saudável para vender aos amigos, um negócio que fez tanto sucesso que acabou vendendo seus produtos pela Amazon. Hoje ela tem 49 anos e está rica.

money-idea

Talvez a gente caia logo naquela de dizer que é sorte, já que tanta gente tenta o mesmo que elas, sem o mesmo sucesso. Mas prefiro focar em outros aspectos: elas não se apegaram ao fator idade ou a outros problemas que tinham – observe que todas tinham filhos, por exemplo – mas focaram no que precisavam fazer para que tudo desse certo, procuraram e acharam um nicho em que pudessem atuar e foram persistentes até que conseguissem.

Bom pra gente se ligar que não tem idade pra começar um novo negócio e – quem sabe? – até dar tão certo quanto o dessas mulheres da matéria? Elas são pessoas comuns, nada fora do normal, que tiveram boas ideias e as agarraram. O negócio é esse: não deixar as boas ideias escaparem!

Você vê a matéria original aqui.

 

Cinco Dicas para aguentar oito horas diárias de trabalho

pausa do cafezinho

Oito horas de trabalho que, na verdade, são doze, se contarmos as duas horas de almoço, se a sua jornada é igual a minha. Mais duas horas, se igual a mim, você passa uma hora no ônibus indo-e-voltando ao trabalho (menos que isso quando consigo uma caroninha – IÊÊII!!!). Então sua lombar sofre, sua pele se lasca, até seu cabelo sente! O que fazer? Tenho umas dicas básicas. Confesso que nem sempre sigo todas ao pé da letra, apesar de saber bem direitinho – vou marcar as que sigo mais, só pra vocês saberem, tá? Vamos tentar seguir, que é pro corpo e a beleza da gente nos agradecerem com mais tempo de saúde e boniteza – a gente mesmo e o mundo nos agradecem (sem falsa modéstia, gente rs).

pause

  1. A cada uma hora sentados, dá uma levantadinha de cinco minutinhos, faz favor. Vai ao banheiro, vai até a máquina de café ou à copa, à mesa da amiga…a qualquer lugar, mas VAI! Tem que fazer o sangue circular dentro desse corpitcho! Pode parecer ridículo, mas essa eu aprendi com o dr. Victor Matsudo, autoridade no assunto “saúde x sedentarismo”
  2. Compre uma garrafa bem linda pra você, daquelas que você vai deixar todo mundo com inveja. Comprou? Pronto. Agora encha ela de água, suco ou chá (sem açúcar, por favor) e vai tomando ao longo do dia). Se o seu ambiente de trabalho for no ar condicionado, vai livrar da desidratação que essa maquininha provoca e um chá quentinho é uma boa opção – hibisco, camomila, erva-doce são ótimas opções. Se faz calor uma água geladinha já basta.
  3. Coloque as pernas num lugar um tico mais alto que o chão. Existem uns materiais, como “pedais de máquina de costura antigas” apropriados pra isso, mas se sua empresa não tiver (alô, segurança do trabalho!), uma caixa mais alta resolve. Sua lombar agradece.
  4. Olha o lanche! A pipoca, fruta, bolachinha…seja lá o que for, que vai fazer você não passar tanto tempo de barriga vazia! Sabe aquilo de comer a cada três horas? Eu não sei se é o tempo certo, mas eu mas a minha barriga dá um certo “alerta” desde criança, do tempo que eu ficava na casa da minha avó, às 10h da manhã e às 16h e é quando eu como alguma coisinha antes de almoçar e antes de largar pra jantar (o horário da tarde acho ainda mais importante, porque daqui que eu largue e chegue em casa, tome um banho e vá jantar, demoooora). Os horários não precisam ser precisos e nem precisa ser o MEGA lanche, mas a pausa rapidinha me basta.
  5. Aquela paradinha estratégica de cinco minutinhos pra saber a fofoca do dia, rir da leseira que sua tia mandou, ver o meme que tá rolando por aí e cair na gargalhada pode parecer perda de tempo…mas é coisa assim que faz você não ficar chato, não levar tudo a sério demais e, pasme, conseguir levar o seu trabalho adiante. São poucos minutinhos de uma bobagenzinha de nada que fazem o resto do dia de seriedade, planilhas, planejamentos, relatórios e tudo mais fluírem bem melhor. Rir faz bem pra saúde do corpo e do trabalho em grupo! Se seu chefe reclamar, chama ele pra rir junto!

change

Quando a gente diz que “o corpo é uma máquina”, vamos lembrar que ela não é feita de metais e fios e, mesmo que fosse, precisaria de tempo para manutenções. Assim, nosso corpo também precisa dessas pausas preciosas. Lembre de fazè-las! Vai ver que são coisas bem simples, que podem entrar na rotina sem esforço algum e fazem uma diferença tremenda! Como tudo na vida, é uma questão de hábito.

Folha lança treinamento para pessoas +40

curso jornalismo grisalho mais de 40

Olha aí que boa notícia para quem tem mais de 40 anos de idade e sempre sonhou em ter uma carreira no Jornalismo: a Folha (da Folha de São Paulo) está com inscrições abertas para um programa de “trainees experientes”. O curso é voltado para pessoas com mais de 40 anos de idade, de qualquer área de conhecimento, com nível superior, que queiram aprender técnicas de Jornalismo. Atentem pro nome sensacional do programa: Jornalismo Grisalho!!! :D

O curso dura dois meses, começa em outubro, conta com aulas, palestras, tarefas práticas e outras ações e não paga nada pra participar. Como é presencial em São Paulo, claro que fica mais fácil pra quem é desta cidade – mas, se você estiver com tempo livre e se interessa pela área, se liga na oportunidade!

Aqui e aqui você encontra mais informações (se você não for assinante da Folha, provavelmente terá que preencher um cadastro básico pra ver a matéria).

Asus mostra novos membros da “família Zenfone”

Já disse aqui que não sou a loka das trocas de celulares, mas amo quando tem uma novidade na área. Como consumidora comum que sou, me fixo mais nas coisas que são palpáveis do que no “motor” da coisa, ou seja: reparo mesmo é se tem vidro que não arranha, se faz boas fotos e se aguenta o tranco de ter um monte de coisas ativas ao mesmo tempo sem pifar e, claro, se a bateria vai embora rapidinho ou fica.

Então hoje a Asus, de que já falei aqui no blog, lançou, durante a Computex, evento que reúne gente de Tecnologia do mundo inteiro em Taipei, seus novos aparelhinhos. Fiquei bem impressionada, viu? Boas funcionalidades, “motor” forte e ainda são lindos! Reuni numa imagem algumas coisas que me chamaram a atenção nessas novidades, o Zenfone 3 Deluxe (sim, de luxo puro, digo logo que #quero), Zenfone 3 e Zenfone 3 Ultra. Olha aí:

Novidades asus (1) zenfone 3 deluxe ultra

Ainda não sei quando esses celulares chegarão ao Brasil, mas já fiquei com vontade de ter uma belezoca dessas. Na ocasião do lançamento dos novos Zenfone a Asus também lançou novos notebooks, ultrabooks e até um robô doméstico bem bacana e muito bonitinho, o Zenbo. Ah, tecnologia! Taí uma coisa que fico feliz de a gente ter “alcançado” – ô, coisa boa pra facilitar o dia a dia!

*Aqui nesse post eu falo do inicio da minha “relação’ com a Asus. 

Estudo diz que quem tem mais de 40 anos deveria trabalhar menos

relogiodeponto pb horas trabalho work clock

Quantas horas você trabalha por semana? Há um estudo recente que diz que pessoas a partir dos 40 anos deveriam trabalhar apenas três vezes por semana, porque, assim, “renderiam” melhor. O desempenho cognitivo das pessoas “de meia-idade” (ai!) funcionaria melhor para quem trabalhasse até 25 horas semanais (na verdade, entre 25 e 30 horas para homens e entre 22 e 27 para mulheres, comparado a quem trabalha 55 horas semanais.

Detalhe: esse é o resultado de um trabalho científico sério, publicado Melbourne Institute Worker Paper, na Austrália, depois de uma pesquisa feita com três mil homens e 3500 mulheres. O estudo tem um contraponto: na mesma medida que trabalhar estimula a atividade cerebral, o excesso de tempo trabalhando diminuiria as funções cognitivas. A causa disso seria a fadiga e o estresse – aí chega naquele ponto em que a gente não rende mais nada.

Faz sentido, né? O que você acha disso? Eu acho tudo bem interessante, mas duvido muito que conseguisse dar conta de tudo que há pra fazer indo apenas três vezes por semana. Ia dar não, hein.

=> Fiquei sabendo desse estudo pela amiga Ju Lopes, que me passou esse link. Quem quiser ver a publicação original sobre o estudo (em inglês), clica aqui

Zenfone 2: para contar histórias com qualidade

zenfone 2 zenfone2 dourado novo

Se tem algo que curto é mostrar coisas que aparecem no meu caminho. Talvez venha daí a vontade de trabalhar com mídias sociais: sou do tipo falante, tenho formação em Comunicação (Jornalismo), gosto de conversar e muitas vezes tenho vontade de mostrar às pessoas as coisas interessantes que vejo, escuto, vivo.

Social media é basicamente ter esse bate-papo, com a diferença que você tem que fazer tudo planejado, ter resultado, fazer relatórios etc. Grande parte das pessoas que trabalham com isso é mais jovem que eu – o que não faz diferença alguma pra mim, mas que talvez sirva até como estímulo para deixar o pensamento sempre jovem e pronto para novidades.

Usar bons equipamentos para mostrar tudo da melhor forma também é uma boa. Então fiquei bem feliz quando a Asus me mandou de presente, por esses dias, o Zenfone 2, novo celular da marca. Um dos destaques da novidade é a câmera de 13MP, algo que muito interessa a quem quer mostrar “o mundo” de forma límpida, clara e bonita para os outros, não acha?

Tela grande, boa performance e uma pegada “confortável”, foi o que me chamaram atenção – lembrando que sou só uma leiga usuária de equipamentos. A esta altura do campeonato qualidade e conforto pesam bem mais do que “fama”, pra mim – suponho que com vocês também seja assim. Outra coisa: o preço não é exorbitante para um smartphone de primeira linha, o que eu acho sensacional!

Bem, estou apenas começando a minha aventura com o Zenfone 2. Quis contar aqui não só pra agradecer a Asus, mas também porque espero encontrar muitas coisas bacanas pra registrar com esse meu celular novo e trazer pra cá. Aguardemos!

Você pode saber mais sobre o Zenfone2 na página da Asus.

;)

#temjabásim

Mãe, tô na Globo!

bom dia PE entrevista

Essa última semana foi bem pesada pra mim. Quer dizer, não que tenha sido uma semana ruim, apenas com muito trabalho, que não me deixava com tempo livre ou disposição suficiente pra atualizar o blog. Isso justo na semana em que apareci ao vivo na Globo, poxa!

Pois é, fui entrevistada pro Bom Dia Pernambuco, pra falar sobre “Como ganhar dinheiro com blogs”, junto com Claudia Bettini, do blog Corujices. Foi bem bacana, não deu tempo de falar tudo que poderia sobre o assunto, apesar de ter sido uma matéria longa, mas foi bem bacana. Quem não viu, clica AQUI pra conferir!