Conheça os “perennials”, as pessoas “sem idade”

Mulheres de 40 anos e mesmo 50, em grande número não se sentem de “meia-idade” – o que a gente já havia colocado aqui no blog algumas vezes, de outras formas, foi comprovado em pesquisa do Telegraph. A pesquisa foi feita com mais de 500 mulheres no Reino Unido, mas creio que reflete bem o que se passa aqui também.

Vi essa matéria no Telegraph graças à amiga Sam Shiraishi, do ótimo A Vida Quer, ela mesma na casa dos 40, como eu. Uma pesquisa mostrou dados interessantes: mais de 2/3 das mulheres que responderam acham que estão nos melhores anos de suas vidas, 59% sentem-se vibrantes e jovens como nunca e 84% apenas não se define pela idade. E, ainda, 80% acham que a sociedade não as vê como realmente são.

Muitas dessas mulheres não aparentam a idade que têm e não se identificam minimamente com o termo “meia-idade” como hoje se define. A pesquisa foi feita pelo grupo Super Human e uma das fundadoras, Rebeca Rhodes, acha que as empresas têm muito foco nos chamados millenials, mas esquecem o grande poder de compra de quem tem mais de 40 anos – algo grave, levando em conta que no Reino Unido 1/3 dos trabalhadores estarão acima dos 50 anos.O resultado? As mulheres mais velhas acabam usando produtos que foram desenvolvidos ao se pensar nas mulheres mais jovens.

O termo “meia-idade” está ficando obsoleto. As pessoas que têm por volta de 40 e 50 anos hoje são conhecidas como “perennials“. Pessoas de todas as idades, que têm amigos também de todas as idades, que curtem tecnologia, que sabem o que está acontecendo no mundo, são criativas, colaborativas, enfim, vivem de fato o mundo. Até o jeito de se vestir dessas pessoas não se identifica com o de “mais velhas” – até porque as que se sentem assim acabam por aparentar mesmo com mais idade. Não é que elas tenham que se vestir como “jovens”, mas usam um tipo de roupa que não tem idade, simples assim. As atrizes Julianne Moore, Emma Watson e Julia Roberts estariam nesse grupo “sem idade definida”.

As novas mulheres entre 40 e 50 anos têm mais confiança em si mesmas para trabalhar e emitir opinião, são ambiciosas (de modo positivo) e gostam de novos desafios, são ativas. No mesmo caminho, as empresas começam a definir seus clientes pelas preferências deles, não pela idade que têm – sem idade, como os perennials, cuja tradução, aliás, faz todo o sentido: são perenes. E, assim, as definições limitantes são ultrapassadas.

* A matéria completa sobre o assunto está aqui

Evento para a maturidade, no Rio de Janeiro

Dica para quem está no Rio de Janeiro: hoje (05/07) e amanhã acontece na Varanda do Botafogo Praia Shopping o evento Saúde, Beleza & Bem Estar na Maturidade, com um bate-papo bacana sobre mudanças que acontecem com as pessoas após os 50 anos de idade. O encontro é promovido pela plataforma #Atitude50 e traz os seguintes assuntos:

  • Hoje (05/07)
    • Efeitos da menopausa na aparência e como melhorar a pele nessa fase da vida, com a dermatologista Graça Silveira
    • Relacionamentos: mitos e verdades pós 50 anos, com a terapeuta sexual Cristina Barros
  • Amanhã (06/07)
    • Inventários e questão de sucessão e familiares, com a juíza Andrea Pachá
    • Previdência privada, INSS e poupança como preparação para a aposentadoria, com a gestora de negócios Patricia Campos

O evento começa a partir das 19h no Varanda Botafogo Praia Shopping e a entrada é gratuita. Aproveitem!

Cameron Diaz, casada aos 42

Em dias de hoje ainda há quem pense em “idade pra casar”. Confesso que as vezes me contamino por essas ideias bobas que circulam e penso “acho que está tarde demais pra mim”. Nunca foi meu projeto de vida, mas não significa que não estivesse aberta à ideia, entende?  Aí aparece Cameron Diaz, que se casou aos 42 anos, e em um evento da amiga Gwyneth Paltrow e dá a real. Gwyneth perguntou à amiga porque ela esperou até estar na casa dos 40 para casar, ao que ela disse prontamente “Eu ainda não havia conhecido meu marido”.

Ela completou dizendo “Mulheres são muito objetificadas, mas meu marido tem conseguido me mostrar o que é não ter isso em um relacionamento e a sermos iguais”. “Meu marido é meu parceiro na vida e em tudo”. Eles se casaram em 2015, quando ela tinha 40 anos.

O relato da atriz fez com que várias mulheres mostrassem, nas redes sociais, sua identificação com a atriz, dizendo também preferirem casarem-se mais velhas, com alguém que realmente valha tentar o casamento. E você, o que acha?

Sete hábitos de pessoas que envelhecem bem

Essa listinha saiu na In Style e achei por bem trazer pra cá, pra ver se a gente lembra de seguir e também chegar lá de boas:

  1. Mantenha uma atitude positiva – Você é o que você pensa! Pessoas mais velhas que acham que idade é sinônimo de sabedoria e satisfação são 40% mais propensos a se recuperarem de algum incidente do que aqueles que acham que idade é sinônimo de inutilidade.
  2. Preste atenção no que você come…- As últimas pesquisas mostram que uma dieta com baixo índice glicêmico, rica em frutas e verduras frescas, grãos integrais e proteína magra é mais saudável. A Dieta do Mediterrâneo, que envolve tudo isso e tomar vinho (com moderação), diminuir o sal e comer peixe duas vezes por semana é um bom exemplo. O seu tipo de dieta, também mostram pesquisas, pode ajudar você a envelhecer melhor e livrar de ataques do coração, derrames e morte prematura. Alimentos ricos em Ômega 3 ajudam a manter a pele mais jovem por mais tempo, além de serem saudáveis. Por outro lado, alimentos açucarados, com carboidratos pesados e gordurosos, como pão branco, refrigerantes e salgadinhos podem acelerar o processo de envelhecimento.
  3. …e no quanto você come – Comer demais podem provocar doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.
  4. Se exercite regularmente – Estar ativo é parte essencial para envelhecer bem. A mulher comum perde, em média, 23% da massa muscular entre os 30 e os 70 anos. Quanto mais você perde, mais envelhece. Exercícios podem fazer aumentar essa massa muscular, mesmo que você esteja com 90 anos! Se manter fit também pode prevenir casos de demência.
  5. Mantenha-se sociável – Amigos e familiares podem fazer você viver mais. Quem tem laços sociais fortes têm 50% chance de viver mais, dizem pesquisas.
  6. Proteja a sua pele do sol – Sol demais, já sabemos, causa rugas e até câncer. Quanto à produção de Vitamina D: bastam pouquíssimos minutos ao sol.
  7. Durma bem – Você provavelmente já sabe que deve dormir entre sete e nove horas por noite, que é o que ditam pesquisas. Não dormir bem aumenta o risco de obesidade, doenças do coração e diabetes. Cochilos também ajudam a melhorar a memória. Além disso, durante o sono o seu corpo produz o hormônio do crescimento que ajuda a restaurar os níveis de colágeno e elastina, essenciais para manter a pele jovem. Dormir pouco, também é bom dizer, acelera o processo de envelhecimento do cérebro.

Nada que não realmente soubéssemos, mas sempre com coisas novas. Sempre bom lembrar, certo? Se vamos viver muito tempo, que seja da melhor forma!

Curso mostra possíveis caminhos para o amor

Coisa que acho difícil é relacionamento amoroso, viu? Acho complicado bater aquele “tchananan” que faz com que aquela outra pessoa seja O tal alguém. Vim com esse assunto hoje por causa de umas perguntas que me chegaram por e-mail:

  • Você se casaria com você mesma?
  • Como anda sua energia, de 1 a 10?
  • Você é capaz de iniciar relacionamentos?

Foram só algumas das perguntas que chegaram e – olha – me colocaram pra pensar. Conhecer pessoas nem é tão complicado, mas estabelecer um relacionamento de fato, isso sim, pode ser mais difícil e pode despender um grande fluxo de energia para dar certo. É preciso que os envolvidos estejam com vontade que tudo dê certo. Aliás, é difícil explicar o que faz um relacionamento dar certo, não é mesmo?

Então fiquei bem curiosa em relação a um curso que vai acontecer em São Paulo no dia 27 de abril: o curso “Casa comigo?”. Numerologia, astrologia, ioga, meditação e outras práticas, sob comando da life coaching Ana Rezende, vão tentar ajudar a responder algumas dessas perguntas acima, entender como anda a sua vida em termos de relacionamentos amorosos e até tentar mostrar caminhos que possam ser seguidos. A frase-chafe do curso é bem instigante: “Nunca é tarde para encontrar o seu par perfeito” (e eu sempre lembro que “perfeito” aqui não é sem defeitos, mas com imperfeições e qualidades que combinam com as suas). Será, hein?

Interessante, não acham? Por mais que busquemos pelo raciocínio lógico, em certas coisas pode ser válido procurar explicações e caminhos alternativos, que são além-entendimento racional. Curti a ideia. Para se inscrever basta clicar aqui.

Curso Casa Comigo:
Data: 27/04/2017
Horário: 18h às 22h
Local: Rua Cláudio Soares, 72 – Conj 218 – Pinheiros – São Paulo/SP
Especialista: Ana Rezende

*Publieditorial

O segredo da saúde e da felicidade

O que nos mantém mais felizes e saudáveis? O que pode fazer viver mais e melhor?  O que relacionamentos fazem com nosso corpo, especialmente com nosso cérebro? Uma pesquisa feita ao longo de 75 anos pode trazer informações importantes a esse respeito. Esse vídeo do TED é bem bacana, tem legenda, fala sobre essa pesquisa e traz uma mensagem importante. Recomendo!

A idade certa para cada coisa?

O Business Insider publicou há poucos dias uma lista mostrando as atividades que estariam no auge, de acordo com cada idade. Ou seja: em que idade seria mais fácil realizar alguns feitos. Essa lista mostra uma media do que acontece, de acordo com pesquisas realizadas no Reino Unido e todas mostram um motivo. Pra ser mais clara, alguns exemplos:

  • Aos 7, 8 anos – aprender um novo idioma. Aprender uma segunda língua antes da puberdade, teoricamente, é mais fácil do que quando se é mais velho.
  • Aos 18, pico do processamento cerebral. 
  • As mulheres são mais atraentes para os homens quando estão com 23 anos
  • Aos 26, a melhor idade para se casar – porque nessa idade você já teria conhecido gente suficiente para isso e já teria escolhido o “com quem”
  • Os ossos ficam mais fortes aos 30
  • A habilidade para reconhecer rostos tem seu pico aos 32
  • Agora a nossa idade: é aos 40 anos que a maioria dos vencedores do prêmio Nobel fazem as suas grandes descobertas
  • Entre os 40 e os 50 anos de idade é que você reconhece melhor as emoções de outras pessoas, bastando apenas olhá-las
  • O melhor de todos: o pico da satisfação com a vida se dá aos 69. A pesquisa diz que as pessoas de 60 são mais satisfeitas do que as de 50.

De novo: a lista foi feita baseada em pesquisa científicas e mostra com que idade várias atividades atinge seu auge. Mas isso não significa que a gente não possa ter excelência em alguma coisa, mesmo estando “fora da idade”. Um tanto de dedicação aqui, uma ingestão maior de cálcio e vitaminas acolá e bastante empenho garantem o resto. A melhor idade pra cada coisa também depende de você.

A lista completa está aqui.

Folia com energia

Ontem teve bloco de carnaval. Amantes de Glória, um dos meus preferidos. Foram três horas e 15 minutos andando, pulando, dançando e cantando junto da orquestra de frevo. Isso porque na meia hora final eu decidi que queria ir pra casa e fui. Mas, o carnaval mal começou, como ter energia para toda a folia? Trouxe aqui algumas dicas:

  •  Comer banana logo pela manhã é uma boa ideia. É fonte de energia e é cheia de potássio, ótima pra evitar cãibras.
  • Comer uma proteína e alguma gordurinha – leve! – antes de sair pro bloco e, principalmente, para beber, é uma boa ideia. Aquele ovinho mexido pode ser a grande pedida.
  • Inhame também é uma ótima fonte de energia.
  • Já sabe que a roupa tem que ser leve e o calçado confortável, certo? Não adianta fazer bonito, se for pra ficar desconfortável, dolorido.

  • Aquelas cervejinhas durante o bloco são ótimas pra quando bate aquele calorão e pra se animar, mas intercalar com água é uma boa ideia, porque álcool refresca, mas desidrata. Dá aquela balanceada, sabe? Se tiver água de coco ainda melhor.
  • Não pode esquecer de comer alguma coisa durante a folia. Se tiver fruta, maravilha! Se não, algo sem exagero de gordura ou que não tenha tempero demais é sempre melhor, pra não ter surpresas desagradáveis enquanto está na rua. Só não invente de ficar em jejum por tempo demais. Tapioca, queijo assado ou mesmo aquela fatia de pizza mussarela são boas opções.

  • O bloco é durante o dia? Se liga no protetor solar e, se possível, no chapéu de sol aberto pra poder aproveitar o carnaval até o último dia sem estar fantasiado de camarão.
  • Uma alongada no corpo antes de cair no bloco nunca fez mal a ninguém. Aqui tem um rapidinho, pra você fazer antes de sair por horas atrás da orquestra, trio elétrico ou bandinha.
  • Nada de se estressar com a quantidade de gente, com uma música que não goste, enfim, com bobagens que podem estragar a sua folia. Carnaval é multidão e mistura mesmo, um momento de alegria. Aproveite!

Uma coisa que nunca dizem, mas vou dizer: é pra você se divertir, apenas. Cansou, tá ruim, não quer mais? Vá pra casa, oras! Uma coisa boa da idade é se ligar que em grande parte do tempo você não tem obrigação de agradar ninguém, que pode fazer o que bem quiser, o que for melhor pra si. Se isso inclui abandonar o bloco no meio, vá, de boas, sem estresse. O tempo é para folia, mas também para relaxar e ficar de boas. Lembre disso e aproveite o seu carnaval da melhor forma.

Greenery, a cor do momento

Isso não tem a ver só com quem tem 40 anos, mas com todo mundo – ou por quem se interessa por tendências ou, ainda, quer entender o motivo de uma cor aparecer tanto nas vitrines. Greenery é a cor de 2017, de acordo com a Pantone, cartela que muitos seguem, no mundo inteiro.

Trata-se de um verde das folhagens, como aquele de uma boa salada, sabe? Vejo como o verde do inseto que chamamos de esperança mesmo. Um tom que exala frescor! É uma cor que dá pra usar bem em roupas, maquiagem, decoração e a gente até encontra naturalmente por aí. Trouxe algumas inspirações:

Se bater alguma dúvida em relação ao tom, lembre de couves, vitórias-régias e, claro, no suco verde, presente nas dietas detox de tanta gente. É uma cor super fácil de misturar com verdes em outros tons e mesmo outras cores.

Esperança, detox, frescor, natureza…essa cor tem tudo pra dar certo e tomara que se espalhe mesmo por aí.

Wendy Ida, em forma aos 64, começou depois dos 40

Se você é daquelas pessoas que vê alguém super em forma e logo imagina que aquele ser deve ter se exercitado a vida inteira, talvez desde a adolescência, e não adiantaria nada começar agora, convido a conhecer Wendy Ida.

A canadense de 64 anos tem um corpão e saúde de dar inveja a muito jovenzinho e é bem comum que achem que ela tenha até 30 anos a menos do que a idade real dela. O detalhe é que Wendy só começou a se exercitar e seguir uma dieta mais saudável a partir dos 43 anos de idade, depois de ter passado por um relacionamento abusivo.

Entrou de cabeça nessa rotina saudável e o resultado é a conquista de oito títulos em competições de fisiculturismo e hoje é instrutora em uma academia. Dieta rígida, com muita proteína, e pelo menos duas horas de exercícios, diariamente.

Quem quiser, pode acompanhar o Instagram de Wendy para seguir o exemplo. Ela mesma diz: ““Quero ser uma inspiração para todos que dizem ‘Eu estou muito velho e não posso fazer”. A cara do #Novos40, não acham? Então vamos mexer, gente!

P.S. Tudo isso pra celebrar o fato de eu ter voltado à ioga ontem e, digo, foi super puxada, com muitos alongamentos, força e equilíbrio. Espero não abandonar desta vez. ;)