Valores Nutritivos da Ceia de Natal

 

Chegou a véspera de Natal! A noite de hoje é, para muitos, de se fartar de pratos especiais, na ceia natalina. Se você pensa que os pratos da ceia só servem para encher barriga e não trazem nada de bom, está muito enganado. Fiz o infográfico abaixo pra mostrar o valor nutritivo de alguns alimentos típicos desta noite:

Mas, vale lembrar: nada de exagero! Se comer com a devida parcimônia, o jantar natalino, além de ser um momento festivo e gostoso, também será bem nutritivo!

Feliz Natal!

Cinco sentidos na Gastronomia

festival cinco sentidos

O que pode acontecer quando restaurantes de alta qualidade se reúnem em um só propósito? Só pode sair coisa boa! Pois é isso que acontece no Festival Cinco Sentidos, que junta os restaurantes pernambucanos Nez Bistrô, Cucina De`Carli, La Pecora Nera, Buca Trattoria, Dali Cocina e Oma Patisserie Bistrô. que vêm com menus com entrada, duas opções de principal e sobremesa, onde cada prato ressalta um dos sentidos.

Mais que apenas um festival como todos os outros, este ressalta o relacionamento já estreito que essas casas têm entre si, uma vez que já há algum tempo se uniram para compartilhar ideias e até fazer compras juntos e fazer intercâmbio entre profissionais da casa. O objetivo é o constante incremento da qualidade do que oferecem.

No Festival Cinco Sabores (88 reais, a experiência, com entrada, prato principal e sobremesa),  Cada prato de cada casa estimula um sentido. Por exemplo, enquanto o Sformato de Funghi, entrada do Cucina Di Carli, estimula a audição, os Buñuelos de chocolate, sobremesa do Dali Cocina, promovem o olfato. Outros exemplos: o Crostoni Bagnato do La Pecora Nera estimula o tato e o Beef Ancho do Buca Trattoria é para surpreender o paladar. Quem opta pelo cardápio Cinco Sentidos ainda leva pra casa de lembrança uma panelinha de cerâmica exclusiva do Festival. Curti a ideia. O Festival vai até o próximo domingo (18/12).

 

Tem Uol Burger Fest Rolando! Nhac!

Kwai BV

Kwai BV

Prouvot Bistrot

Prouvot Bistrot

Dicona para o domingo: se deliciar no hambúrguer!

“O maior festival de hambúrguer do mundo”. Não sei se realmente é isso tudo, mas, olha só, eu acredito no que diz a organização do Uol Burguer Fest – afinal, são 10 cidades brasileiras participando resultando em mais de 300 diferentes receitas de hambúrgueres!!!

Por aqui, Recife e Jaboatão dos Guararapes têm estabelecimentos participando do Festival, que vai até o dia 27 – 29 casas no total, com 26 receitas exclusivas. Dá vontade de conhecer cada uma delas! Uma coisa bacana é que tem uma boa variedade de estabelecimentos: hamburguerias/lanchonetes, como Kwai, Kangaroo, H3 e Moo, The Fifties, entre outras; food trucks, como MôVei, Urbanoide e The King e até hoteis – os Ibis da Conselheiro Aguiar e do Aeroporto.

Eu olhei todo o catálogo e fiquei babando nas invencionices dos chefs, então acho melhor nem sugerir. Digo logo pra você mesmo analisar tudo direitinho e se deliciar. Aproveita, que ainda tem uma semana pela frente e experimenta vários! Olha o site: www.burguerfest.uol.com.br.

Tendências em Comidas para 2017

Poke Salad

Poke Salad

Já começam a pipocar as tendências para 2017! Desta vez a rede britânica de supermercados Waitrose contou o que pode virar moda em termos de comida e bebida no próximo ano. Se prepara que vem umas coisinhas bem diferentes por aí

  • Poke salad – uma salada feita com peixe cru, de origem havaiana, bem parecida com um ceviche
  • Água de cacto – que cacto? Não faço ideia! Mas vai chegar e dizem que é cheia de antioxidantes…duvido nada que seja de palma, aquela mesma que colocam pro gado comer nas cidades do sertão nordestino quando a água fica escassa. Sério.
Iogurte de vegetais

Iogurte de vegetais

  • Iogurte de legumes – cenoura (mas esse já existe, com mel e laranja, né?), beterraba e abóbora são alguns sabores que devem vir por aí. Se não forem doces, os imagino como bons molhos para saladas.
  • Água de melancia – Não entendi direito, mas acho que é água com pedaços de melancia dentro mesmo, para deixá-la saborizada. Ok.
  • Sobremesas gigantescas – por mim, tudo bem, mas só imagino que seja compensação de tudo isso da lista acima.

Tirando a água de cacto – apesar de eu morar em uma região que tem bastante disso – acho essa lista bem plausível e até apetitosa. Que acharam?

Fonte: The Independent

Sobre hambúrgueres, cervejas e harmonização

kwai-hamb-harmonizar-cervejas

kwai-hamburguer-harmonizacao-cervejas

Comer e beber estão entre as melhores coisas da vida, mas taí uma coisa que estou aprendendo a fazer só depois dos 40: harmonizar alimentos e bebidas. Admiro quem sabe fazer. Aliás, não é coisa que é feita só com vinhos, sabia? Pode ser também com uísques, espumantes, cafés e cervejas, por exemplo. E foi para uma harmonização de cervejas com hambúrgueres que fui convidada a ir dia desses, na Kwai hamburgueria, que recentemente  ampliou a sua carta de cervejas especiais, e ganhei uma verdadeira aula!

De início parece uma bobagem, mas é algo químico mesmo, sabe? Cheira a cerveja e é uma coisa, morde o sanduíche e cheira a cerveja e já se transforma, morde o sanduíche e toma um gole da cerveja e tudo muda outra vez! O sabor que era um pouco picante fica forte ou fica mais doce…impressionante. Tudo se transforma completamente conforme passa pelas papilas gustativas e o modo como isso é formado é que torna esse processo genial!

Na noite de harmonizações da Kwai eu tomei as cervejas Ashby Hops Clara, acompanhada do BurgueGiana – uma espécie de hambúrguer a parmegiana: a Heilighe APA, que tem sabor cítrico, e acmpanhou o Citra Burger, que tem, na combinação, um incrível barbecue de tamarindo com lúpulo citra e, ainda, a Backer Brown Ale, com o Turbacon, que leva, obviamente, bacon e queijo gouda. Bem, já fica aí a sugestão pra deixa o domingo bem gostoso! Pra mima, a harmonização de cervejas contou como uma nova experiência #depoisdos40. 

Dali Cocina tem Veggie Gostoso e Sofisticado

dali

O restaurante Dali Cocina já apareceu aqui no blog e, já deixo avisado, deverá aparecer outras vezes, já que é um dos meus preferidos aqui no Recife. Desta vez vem por um motivo diferente: apesar de ser uma casa conhecida pela cozinha mediterrânea, agora venho falar do Festival Vegetariano que o restaurante promove a partir de hoje, em parceria com a Cantu (empresa de distribuição de alimentos, aqui, com vegetais), com pratos simplesmente incríveis, de tão bons!

Normalmente quando as pessoas pensam em comida vegetariana é comum ´imaginar algo como saladas sem graça, sem muita variedade, né? Bom, devo dizer que, apesar de não ser vegetariana, de comer o que me dá vontade e acho que me faz bem, tenho a boa sorte de encontrar pratos vegetarianos e até veganos (sem nenhuma proteína animal) bem criativos e saborosos. Mas esses que encontrei no Dali Cocina ainda consegue atingir outro ponto, além de saúde e sabor: sofisticação.

Veggie’s Life, festival de cozinhas vegeteriana e vegana do Dali, tem pratos do próprio chef da casa, Robson Lustosa, que foi primoroso e extremamente cuidadoso nos preparos dos pratos, uma vez que não pode haver, no caso do veganismo, por exemplo, o uso de utensílios que tenham sido utilizados para manipulação de produtos de origem animal.São dois cardápios, um restrito vegano e outro ovolactovegetariano, ambos a 42,90 reais. Para este último há a opção de harmonizar com vinhos, ficando por 69 reais. No cardápio vegano a entrada é Carpaccio de melancia e figo da Índia com mesclun de endívia, agrião e pastrique de goiaba; o prato principal, ‘Millas de milho verde com ragoût de feijão branco, cogumelos frescos e radicchio grelhado’ ou “Barbacoa de grão de bico ao molho de tofu e ervas com couscous de quinoa e legumes’ (divino!) e a sobremesa, ‘Flambée de banana pacovan com sorbet de abacate e caramelo salgado’.

Já os que optam pelo cardápio ovolactovegetariano, um pouco menos restrito têm como entrada ‘Quenelles de queijo de cabra ao creme de cenoura e aspargos” (não vou mentir, eu pedi uma “tapaué” desse prato e voltarei lá pra cobrar rs); as opções de principal são ‘Roulade de berinjela e lentilhas ao vélouté de abóbora kabocha com panaché de legumes’ e “‘Macarrons de shitake fresco e batata trufada ao molho de gryére e mostarda com mousseline de ervilha” (outro prato de que eu também adoraria ter uma “tapaué”) e, para sobremesa, uma divina ‘Bavaroise de manga haden com coulis de mirtilo e cassis’.

Se você ainda tem algum preconceito em relação a comida vegetariana, o momento de experimentar algo nessa área que eu garanto que não vai se arrepender é nesse festival do Dali Cocina. Veja bem: eu garanto! Estou usando o meu blog pra isso: se você chegou aos 40 anos de idade e ainda não experimentou um prato vegetariano pra chamar de delicioso, a hora é essa, o momento é já! ;)

P.S. Lá no almoço pra jornalistas e blogueiros eu ganhei um presentinho da Cantu e depois conto aqui o que fiz com o presentinho. ;

Imagens: Dali Cocina

No Oficina tem lagosta a gosto!

Lagosta Coral - uma enorme e deliciosa entrada

Lagosta Coral – uma enorme e deliciosa entrada

FB_IMG_1472063660339

Lagosta é um prato muito fino, né, gente? Mesmo que a gente more no litoral, assim como eu, não podemos dizer que é um prato trivial, do dia a dia, normalmente ela é servida em ocasiões especiais mesmo.

Mas como eu acho que o dia especial é aquele que a gente resolve que quer que ele seja assim, achei excelente o convite pra conferir o cardápio do Festival Lagosta a Gosto, do restaurante Oficina do Sabor, dentro da proposta (maravilhosa) do projeto Sabores de Pernambuco da casa. Era uma terça e resolvi que seria a “terça feliz de ver gente bacana”, já que sabia que encontraria outros amigos por lá.

Lagosta Tropicália

Lagosta Tropicália

Veja só, um cardápio com entrada e prato principal à base de lagosta e, ainda, uma sobremesa divina (tudo de côco, que eu amo!) por 88 reais, tá ótimo, não tá?  Ainda dá direito a uma taça de vinho, pra brindar esse dia feliz! Se for com amigos, faz como eu: combina de a outra pessoa pedir um prato diferente, prova um pouquinho pra já ter ideia do que pedir na próxima vez que for (são três opções de entrada e três de principal). Tudo combina bem com quela paisagem incrível que o Oficina do Sabor proporciona (sério, vá até a varanda!).

FB_IMG_1472063654244

Aquele momento em que a sua sobremesa é, na verdade, cinco sobremesas de côco

Aquele momento em que a sua sobremesa é, na verdade, cinco sobremesas de côco

Não é uma baita programação? Então se liga, que o festival Lagosta A Gosto vai só até o dia 10 de setembro! A propósito: eu pedi o hambúrguer de lagosta de entrada e o clássico Lagosta ao Thermidor como prato principal e amei!

Clica aqui pra acessar a página do Oficina do Sabor no Facebook.

Receita: Brigadeiro de Caipirinha

brigadeiro de caipirinha receita

Semana passada tive o aniversário de minha prima Catarina pra ir e, além de presente e presença, me deu  vontade de fazer algo com cara de festa pra levar. Inventei de fazer um “brigadeiro de caipirinha”. Não olhei receita, fiz da minha cabeça e torci que desse certo – afinal, o pior que poderia acontecer era ter que comer de colher, já que dificilmente daria muito errado com leite condensado, né? Fez muito sucesso e quem viu a foto que postei me pediu também. Resultado: hoje fiz de novo, pra levar amanhã pra turminha do trabalho. Como não dá pra levar pra vocês todos que estão lendo, trago a receita aqui:

brigadeiro de caipirinha receita 1

Misturei numa panela uma lata de leite condensado com uma colher de manteiga e raspas da casca de dois limões (eram pequenos), daqueles comuns mesmo. Mexi no fogo até ficar em ponto de brigadeiro (de fazer bolinha) e coloquei um pouco de cachaça – não sei quanto, deve ser mais ou menos umas quatro colheres de sopa, talvez um cálice de licor – foi de olho mesmo, então coloca aí ao seu gosto. Volta ao fogo até que endureça novamente. Aí é o seguinte: não pode colocar a cachaça desde o início, ou nunca vai chegar ao ponto desejado e, do mesmo modo, provavelmente depois da cachaça não vai mesmo ficar muito durinho não. Coloquei em um prato untado e deixei esfriar na geladeira.

Quando estava frio, untei as mãos, fiz bolinhas e passei numa mistura de açúcar cristalizado com mais casquinha de limão raladinha. Se vir que tá difícil de fazer a bolinha, relaxa, que o açúcar ajuda a fazer e é só passar nele de novo, pra ficar bonitinho. Pronto, coloquei nas forminhas, levei pra festinha e foi sucesso total entre família e amigos. Agora é colocar em prática um outro docinho alcoólico aqui, que estava pensando – quando fizer, também trago a receita ao blog. ;)

Na hora do lanche: pipoca!

pipoca

Pipoca-ah! Ontem postei essa foto acima nas redes sociais e foi quase uma comoção – todo mundo gosta, né? Sabia que pipoca, além de ser uma coisinha gostosa pra danar, também é uma opção de lanche leve, saudável e que pode até deixar a pessoa com aparência mais jovem? Pois é, pode tirar a danadinha da sua lista de comidas-que-engordam. É um dos alimentos que tem menor quantidade de calorias!

Além disso, ela é rica em antioxidantes, tem fibras e dá energia ao organismo. Mas é bom ficar atento: não dá pra fazer mergulhada no óleo, encher de sal, manteiga, queijo ralado ou sei lá mais que outras coisas que vocês costumam colocar pra acompanhar, porque aí enche mesmo de calóricos. Aliás, sabia que, na verdade, nem precisa de óleo pra estourar? É o calor que faz issso – no microondas, por exemplo, se colocar o milho em um recipiente com um tiquinho só de água e de sal e cobrir com filme plástico com alguns furinhos e deixar alguns minutos, ele também vai estourar. Conheço gente que faz só colocar o milho e um tico de sal num saco de papel comum e leva ao microondas -nunca fiz assim, vocês já tentaram?

Os polifenois presentes na pipoca ajudam a combater o envelhecimento e até ajudam a retardar alguns tipos de doenças. melhora o sistema digestivo e até ajuda a perder peso – já que tem muitas fibras, poucas calorias e ajuda a saciar a fome.

Então é isso: ~pipoca na panela, começa a arrebentar ~ (esta, os mais novinhos não vão sacar rs).

Conheci: Almoço no The Black Angus do Shopping Recife

the black angus 1

Repara essa costela! Diz que é pra duas pessoas, mas uns quatro comeram, de boas

Almoço em shopping não tem que ser lanche, pode ser almoço de verdade e dos bons, inclusive em um lugar aconchegante. Foi isso que ficou parar mim ao aceitar o convite da assessoria do The Black Angus do Shopping Recife para almoçar lá. O objetivo foi conhecer o novo cardápio da casa, agora feito especialmente pro público que está no mall e procura isso aí que falei na abertura do post.

Antes de dizer como foi o meu almoço: vocês sabiam que a casa tem uma sala para quem quiser fazer um almoço exclusivo, sem estar à vista dos outros clientes, que comporta até 25 pessoas? Achei isso muito bacana, imagino que pode ser um bom lugar pra um almoço de negócios ou para reunir os amigos no aniversário, por exemplo.

Mas vamos às comidas, né? Pra quem não sabe, a especialidade do The Black Angus é carne – “angus” é uma raça de gado que tem uma carne toda especial, saborosa, e é o carro-chefe da casa. Mas o lugar também tem outros pratos e a turma de jornalistas e blogueiros com quem eu estava começou devagarzinho, pelas entradas – bolinhas de queijo do reino (amo!!!), chips de batata-doce (sequinhos e crocantes), coxinha de cordeiro confit, mini-hamburgers…as entradinhas são ótimas e vale até pedir na hora do happy hour (no final volto a esse assunto).

Um baião de dois cheio de "pra que isso" e com resposta: "pra ficar bom"!

Um baião de dois cheio de “pra que isso” e com resposta: “pra ficar bom”!

Poderia parar por aí, mas tem os pratos principais, né? São os protagonistas, afinal! O primeiro que pedimos não tem a carne, carro-chefe da casa, como destaque, mas, veja só, é um baião de dois (foto acima), feito de uma forma especial: de camarão, que foi passado na manteiga de garrafa e flambado na cachaça. Seria absurdo deixar passar!

Aí veio uma costela (a da foto de abertura do post) que, disseram, daria bem para duas pessoas – mas que dá bem pra umas quatro. Gigantesca, carne macia, daquelas que derrete como uma manteiga e solta do osso facilmente, sabe? Na sequência, meu prato preferido: uma picanha de sol (picanha, no formato de carne de sol, no ponto, perfeita no sal, acompanhada de uma farofa de jerimum que eu comeria pura, sozinha mesmo.

the black angus parmesan

Barriga cheia, não consegui espaço aqui dentro pra provar esse hambúrguer The Parmesam da foto – preciso voltar, tanto por causa dele, quanto por causa de um outro, o The Cordeiro, feito com carne desse animal, cebola caramelizada e hortelã. Só comi uma provinha de nada das sobremesas, mas devo dizer que gostei bastante da terrine de limão siciliano e sei que vai ter chocólatra se apaixonando pelo Pout-Pourri de chocolate.

Para ser no shopping mais movimentado da cidade é muito bom ter um The Black Angus como lugar pra relaxar, almoçar, curtir a happy hour, enfim, que faça você se sentir sem pressa e poder contar com um lugar assim