Sobre Claudia Giane

Jornalista, 40. Trabalha com mídias digitais há alguns anos e continua tentando o que houver para ser tentado. Além do #novosquarenta, também tem o "Bolsa de Novidades" e o "Eu falo sozinha".

Eventos sobre Envelhecimento

Estão abertas as inscrições para dois eventos sobre envelhecimento que eu gostaria muito de ir, mas não serão aqui no Recife. Então deixo a dica para vocês, para o caso de alguém estar em uma dessas cidades:

  • O primeiro evento é brasileiro, o MaturiDay, que acontece no dia 02/03 em São Paulo. promovido pela Maturijobs, plataforma que tem por objetivo unir profissionais experientes (a partir dos 50 anos) com empresas, oportunidades de trabalho, para networking e afins. Longevidade saudável e autoconhecimento estarão na pauta do dia. Você pode fazer a sua inscrição ao acessar este link.
  • O outro é a 15ª Conferência Mundial de Envelhecimento/IFA 2020, organizado pela Federação Internacional de Envelhecimento, que acontecerá em novembro (sim, ainda dá pra se programar), no Canadá. O tema será “Rights Matter” (direitos importam) e trará temas importantes como “ambientes age friendly” e combate ao ageismo (ou etarismo). Para saber mais sobre a conferência global IFA 2020, acesse aqui.

Recado dado! Quem puder ir, aproveita e conta pra mim como foi!

Os Cabelos Brancos de Jane Fonda

Sim, eu sei que Jane Fonda aparece muito nesse blog, que ela tem mais de 80 anos e já virou rainha quase absoluta deste blog – mas, lembre, o Novos40 é dedicado a quem passou dos 40, não só a quem está nesta faixa. E, convenhamos, a mulher faz por merecer! Vocês viram a cerimônia do Oscar, no domingo passado? Ela simplesmente arrasou, com o vestido que já havia usado em 2014 e levando o casaco que costuma usar nas manifestações pró sustentabilidade de que participa.

Mas eu queria chamar atenção também pra outro ponto: o cabelo dela estava arrasador!!! De início, achei que era um loiro bem platinado, mas os fios estão brancos mesmo, naturalíssimos, assumidíssimos! O assunto “cabelo branco/grisalho” já apareceu aqui no blog outras vezes, não só por uma questão de vaidade, mas porque muitas vezes mexe com a nossa autoestima, não é mesmo?

O profissional Paolo Civita, hairstylist e embaixador da Alfaparf Milano, comento a respeito dessa “onda” maravilhosa, de as pessoas deixarem os cabelos como realmente são:   “Há alguns anos vem acontecendo um movimento para cabelos mais naturais, as pessoas perceberam que é possível ter um cabelo branco, grisalho, cacheado, crespo ou liso e manter seu estilo reafirmando sua identidade. Para isso é necessário alguns cuidados, tanto no salão quanto em casa. O corte é de fundamental importância para valorizar sempre os pontos positivos, gerar um equilíbrio entre cor e forma, trazendo um conceito de cabelo moderno e arrojado”. Ele dá algumas dicas para chegar nesse objetivo:

  • Começamos pela técnica de mechas finas de forma global com o objetivo de eliminar a técnica de coloração total dos fios.
  • A tonalidade desta mecha é primordial para o efeito grisalho, devendo sempre seguir o tom frio. 
  • Para cabelos longos é indicado, sempre que possível, o corte retirando o excesso de comprimento, tornando muito mais rápido o processo até a transformação final.
  • Procurar também eliminar o uso de processos químicos que alteram a forma natural do cabelo.

O hair stylist enviou uma verdadeira listinha (da Alfaparf, da qual ele é embaixador, claro. Mas você pode usar os produtos da marca que achar melhor). Olha só:

  • No salão:
    Tratamento nutritivo –  Semi di Lino Moisture, da Alfaparf Milano. 
  • Em casa:
    Tratamento nutritivo para cabelos secos e muito secos e tratamento de brilho/hidratação para cabelos normais – Semi do Lino Moisture para cabelos secos e Semi di Lino Diamond para cabelos normais, ambos Alfaparf Milano.
    Os itens indispensáveis para fazer a manutenção em casa são: xampu, máscara, condicionador, leave-in (os com proteção solar são fundamentais pra evitar o amarelado dos fios), óleo (especialmente em cabelos longos), pomada ou cera (para cabelos curtos). Um segredo para manter as madeixas no tom certo: Alfaparf Milano Pigments Violeta.21: acrescento no shampoo, máscara, condicionador e leave-in.

Dá pra ter, como se vê, cabelos grisalhos ou mesmo completamente brancos e modernos. Você já tem os seus assim?

* tivemos ajuda da assessoria da Alfaparf para fazer este post

Você é uma WHIP?

Jane Fonda, 82 anos, WHIP desde sempre! Maravilhosa! (foto: site da BBC)

Você já ouviu falar no conceito “WHIP”? Ele existe há alguns anos e agora está se popularizando. Significa “Women Hot, Intelligent and in their Prime”, ou seja “mulheres quentes, inteligentes e em seu melhor momento”. É o termo que estão usando para designar mulheres acima dos 50 anos que têm um “Q a mais” de “interessância”. Aquilo de não bastar ser bonita aos olhos de quem acha bonita – não precisa estar naqueles padrões que a gente conhece bem, ufa! -, mas ter um papo interessante, ser alguém que as pessoas olham e se sentem, de alguma forma, atraídos.

Existem vários exemplos de mulheres assim: Fátima Bernardes, Madonna, Cameron Diaz, Jane Fonda e várias outras. Detalhe que o termo não serve só para os homens falarem a respeito de mulheres (como o MILF), mas normalmente são usados como elogios pelo “conjunto da obra”. Observou que essas citadas acima são admiráveis, porque, entre outras coisas, sabem o que querem e correm atrás de realizar isso? Normalmente não gosto de títulos, apelidos e afins, mas, vou dizer…até que simpatizem com o WHIP e espero estar pavimentando meu caminho para me tornar uma mulher assim, de fibra, bem comigo mesma e no meu esplendor total, logo, logo.

P.S. Claro que já lembramos que “whip”, em inglês, significa “chicote” e é possível que o acrônimo tenha sido pensado pra chamar essas mulheres de mandonas. Mas, sabe o quê? Diz o ditado: “se não aguenta, pra que veio?”.

Tendências 2020

Se tem uma coisa que gosto é de saber sobre tendências – moda, decoração, gastronomia…qualquer assunto me interessa e entendo que qualquer um deles pode ser resumido em um: comportamento. Isso porque dizer que alguma coisa é ou será tendência é dizer como grande parte das pessoas vai se comportar, o que elas vão fazer, consumir etc.

Entre os vários relatórios sobre tendências para 2020 que eu li, boa parte diz que os anos 90 estão de volta, ou, pelo menos, grande parte das coisas que nós, acima dos 40, vimos naquela época estarão de volta. Bom, exatamente em 1990 eu estava com 16 anos, então isso diz bastante sobre minha adolescência e iniciozinho da vida adulta – talvez de muitos de vocês que leem o blog também. Então vamos ver algumas dessas coisas que deverão voltar, de acordo com um dos melhores relatórios que li: o do Pinterest:

Música

Pode apostar na volta de sucessos da música baiana, por exemplo. Vai ter muito “ô, Miiiila” e “a cor dessa cidade sou eeeeu” tocando. Pode tirar seu figurino de axé music do armário e vamos lá aprender os passinhos dessas músicas – e dos pagodões clássicos – tudo de novo. Para quem curte as ~internacionais, o hip hop, que já começou a dar as caras novamente, também estará bastante forte.

Moda e Estilo

Levando em conta as tendências musicais, pode tirar do armário o seu top e as roupas super coloridas, que eles estarão nas ruas novamente. Porém, como moda não é igual pra todo mundo – ufa! Do mesmo modo, as roupas folgadas do hip hop. O estudo mostra que o finalzinho dos anos 90 e, ainda mais, início dos 2000 prevalecerão, então estamos novamente com aquela tendência camisetas com inscrições, por exemplo, muito jeans (look total) e – quem sabe? – talvez até o grunge dê as caras.

Comportamento

Claro que moda e música se referem a comportamentos, mas existem outras ações, atitudes que deverão acontecer no ano 2020 que serão bastante marcantes. Um exemplo está no pensamento “sem gênero”, ou seja, não binário ou, ainda, melhor explicando: cada vez menos teremos o “isso é para meninos/homens e aquilo é para meninas/mulheres”. As coisas deixam de ter essa divisão e se tornam “é para quem quiser”, assim como muitas pessoas são o que elas sentem que são e pronto. Que tal nomes que servem para meninos e meninas? E um smoking em forma de vestido? E bonecas/bonecos, carrinhos e demais brinquedos sendo simplesmente para quem gostar deles, sem definir se são femininos ou masculinos? Isso já começou e deve ser deste modo, cada vez mais. É inclusivo e libertador!

É um novo tempo? Sim, todo dia é um novo tempo! Essas tendências, para os mais atentos, já estavam bem claras e já estão aí, na verdade! Vai incomodar alguém? O que é novo sempre incomoda. Mas é isso: até o nosso próprio corpo é incômodo enquanto cresce! Faz parte do processo de evolução. Sugiro que você dê uma olhada nessa pesquisa do Pinterest e fique por dentro de tudo que já nos rodeia e o que ainda virá por aí.

Que acabe o preconceito de idade!

O preconceito de idade é real e o assunto tem me interessado cada vez mais, provavelmente por já me identificar com algo – apesar de dizerem que só se começa a senti-lo mesmo a partir dos 50, meus 45 anos de idade e alguns meses de desemprego já começam a sentir o cheiro dele. Então venho pesquisando bastante sobre o tema.

De pesquisa em pesquisa acabei chegando nesse vídeo ótimo de um TED Talks de 2017, chamado “Let’s end ageism”, que pode ser traduzido como “Vamos acabar com o etarismo” que, como sabem, é justamente o nome que damos ao preconceito de idade. O vídeo tem legendas em português. Vamos acompanhar?

E então? O que acharam e o que têm a dizer sobre o tema? Vamos conversar mais sobre ele?

O Silêncio e a Vida, por Monja Coen

Uma das maiores referências brasileiras do Budismo, a Monja Coen lançou recentemente o livro “O que Aprendi com o Silêncio”, a sua autobiografia. Quem já leu um pouco a respeito dos budistas sabe bem que silenciar é um ato de extrema importância para eles, em relação a coisas como se conhecer melhor, amadurecer, ter um posicionamento para as coisas que o mundo traz pra gente.

O livro que a Monja, antes conhecida como Cláudia Dias Baptista de Sousa está lançando é sua autobiografia. Ela fala sobre a família extremamente católica, o casamento aos 14 anos, gravidez, separação, trabalho como jornalista, ida para o exterior, descoberta do Budismo e até o início de sua Fundação Zendo Brasil.

Mas, acima de tudo isso, ela fala sobre os muitos ruídos que nos chegam todos os dias, como a procura por estímulos constantes é normalizado e até incentivado em nossos dias e sobre como isso nos sobrecarrega. Isso sem contar o barulho que nossos pensamentos fazem! Para balancear, há o silêncio, a que não damos a devida importância e para os quais deveríamos reservar momentos preciosos para filtrar o que deve ou não ser levado em consideração.

Confesso que ainda não li o livro, mas estou bastante curiosa. Nesta sexta-feira (22) a Monja Coen estará no Teatro Riomar aqui do Recife, falando sobre “O que aprendi com o silêncio”. Estarei lá e espero captar momentos bem inspiradores. Depois conto a vocês, no Insta do Novos40.

Para comprar o livro O que aprendi com o silêncio: Uma autobiografia basta clicar no link. E aqui, ingressos para a palestra.

Hattie Retroage: Tinder e um novo olhar para a vida sexual dos mais velhos

Hattie Retroage, 83 anos.

Por esses dias tenho visto muitos sites, blogs e afins falando em Hattie Retroage, uma mulher americana de 83 anos que tem um perfil no Tinder e diz já ter feito sexo com mais de 50 homens – todos mais jovens que ela. Espantoso para alguns, fascinante para outros, claro, já que não é algo que a gente normalmente veja: uma octagenária dizendo que é sexualmente ativa – e bote ativa nisso!

Mas eu fui pesquisar mais um pouquinho sobre Hattie, porque não era possível que fosse só isso: de repente, há oito meses, ela resolve entrar no Tinder e fazer sexo adoidado? Tinha que ter mais! E tem! Primeiro, ela é psicoterapeuta, o que, imagino, já ajuda bastante para que ela tenha essa mente aberta e esse olhar sobre sim, de “ei, estou viva, vivíssima, vivérrima!”. Ela foi casada até os 50 anos de idade e diz, em todas as entrevistas que fizeram com ela, que a vida sexual com o ex-marido era maravilhosa. Se separaram depois que os filhos entraram na universidade – o casamento não deu mais certo. Naquela época, diz ela, queria apenas ser mãe, dona de casa, uma vida comum.

Depois da separação o ex-marido casou-se de novo e ela pensou que em algum momento faria o mesmo – então era isso que ela queria: sexo + amor + casamento…nada incomum. Aí, apesar de conhecer vários homens, vendo que o rumo da vida não era como o que esperava, decidiu “cortar relações” entre o seu coração e seu sexo

. E, assim, começaria a ir atrás somente deste, para se satisfazer mesmo – e não há nada de errado nisso, correto? Assim, aos 55 anos, começou essa nova fase: colocou um anúncio no jornal “convocando” homens, selecionava os que curtia e pronto, se fosse pra rolar, rolava. Portanto, não é algo iniciado agora, como fazem parecer todas as matérias, há quase 30 anos ela vive a vida desse jeito, se diverte, é saudável e feliz. No Tinder ela diz que prefere os homens de sorriso aberto, que parecem saudáveis e tem duas exigências: não ser eleitor/apoiador de Trump nem aproveitadores. E é aquilo: acabou a curtição, vai cada um pro seu canto. Por que ela prefere os mais jovens? “porque eles são mais preocupados em dar orgasmos”, diz ela.

Se ela está certa ou errada? Oxe, quem sou eu pra julgar, minha gente? Aliás, nem vejo nada para ser julgado! Mas, uma coisa é certa: Hattie é mais uma prova de que o “envelhecer”, hoje, é muitíssimo diferente daquele que se pensava há alguns anos e – quanto a isso, sim, posso opinar – é muito bom que seja deste modo! Mentes abertas para esse novo modelo entrar e sigamos em frente! Deixo abaixo um vídeo feito com a nossa personagem pela Barcroft TV, que mostra mais sobre ela e dá uma baita motivação em quem vê:

O Futuro Profissional pós 40

Jorge Penillo, o “Doutor Carreira” (Foto: Divulgação)

Várias coisas têm me levado a pensar sobre a vida profissional dos que passaram dos 40 anos de idade. Entre elas, duas se destacam: a primeira, a tal reforma da previdência, que vai exigir que muita gente trabalhe mais tempo do que havia planejado inicialmente. O segundo motivo é mais pessoal: depois de muito tempo, me vejo em busca de novos desafios profissionais (isso mesmo, sem emprego) – já fazem dois meses e só agora começo a ajustar meus pensamentos, pois fiquei uns bons dias completamente sem saber o que faria da minha vida profissional daqui pra frente – afinal, preciso de um emprego e ainda quero contribuir para a sociedade com tudo que aprendi ao longo do tempo.

Então bati um papo com o coach e mentor de liderança e carreira Jorge Penillo, que traz ótimas respostas ao que podem ser dúvidas de muita gente que está mais ou menos na mesma situação que eu ou que, simplesmente, sente que precisa de um novo rumo profissional. Então se liga aí nessa conversa!

Pesquisas mostram que até o ano 2040, metade da força de trabalho brasileira terá mais de 50 anos de idade. Como nós, de 40 anos, podemos nos preparar para continuar firmes e fortes no mercado, especialmente agora que é bem possível que muita gente tenha que trabalhar mais tempo do que esperava para poder se aposentar?

É fato! Nossa população está amadurecendo, mas não necessariamente envelhecendo. Amadurecer traz consigo experiência, equilíbrio e paciência, características que não estão presentes na juventude, porém, é importante manter o corpo firme e pronto para novas batalhas do mercado de trabalho. Seguem 3 três passos do plano para se manter firme a ponto de causar admiração dos mais jovens:

Plano CMT ( Corpo – Mente – Tecnologia)

C – Mantenha uma atividade física, controle seu peso e tenha hábitos saudáveis de alimentação, pois isso vai te proporcionar vigor físico para os desafios diários.
M – Mantenha sua mente em constante agilidade, portanto, estude, faça novos cursos, aprenda novas habilidades, faça exercícios de inteligência, como testes de memória.
T – Aprenda a usar novas tecnologias como redes sociais, funções de telefones celulares, aplicativos de Internet ou celulares.

Não tem nada mais assustador para jovens do que pessoas acima de 50 anos de idade que conhecem novas tecnologias, têm a mente afiada e um corpo saudável talhado a boa alimentação e exercícios físicos.

Dá para mudar de carreira profissional depois de passar dos 40 anos? O que a pessoa pode fazer caso queira mudar de rumo, mas ainda não sabe exatamente qual caminho seguir?

Sim, é possível, e eu mesmo sou exemplo desta transformação. Depois dos 40 fui desligado da empresa onde trabalhava com Chefe de Operações da Sala de Controle de Energia. Tinha construído uma carreira profissional sólida no setor, porém, quando fui desligado, queria fazer algo que estivesse ligado a minha missão de vida. Pouco antes de ser demitido, cheguei à conclusão que minha missão de vida era ajudar as pessoas a encontrarem seus propósito de vida e ter sucesso profissional. O que fiz para conseguir chegar a minha missão vida?

Basicamente, me fiz 3 perguntas:

  • O que eu realmente amo fazer e que faria mesmo que de graça?
  • O que eu quero deixar de legado para as pessoas e os mais jovens no futuro?
  • Quem eu conheço que já faz o que eu gostaria de fazer, tem razoável sucesso e pode me ajudar?

Conclusão: descobri que desde criança eu tinha habilidade para lapidar talentos e fazer as pessoas acreditarem em si mesmas. Concluí que minha missão de vida era fazer brilhar os pés e as mentes das pessoas, fazendo-as felizes em seu trabalho. Procurei pessoas que já faziam esta atividade, me inspirei nelas e comecei minha jornada.

Hoje, aos 48 anos, faço brilhar pés e mentes por meio do trabalho. Pés porque um dia fui engraxate, e mente porque hoje aplico coaching e mentoria de carreira para pessoas que querem transformar sua vida profissional em um legado. Procurei referências profissionais e segui seus passos.

Quais vantagens têm as pessoas com mais de 40 anos de idade em relação aos mais jovens, especialmente no que se refere ao trabalho? Quais vantagens ela pode trazer a uma empresa empregadora mais do que um jovem traria? Quais são as desvantagens e de que modo essas pessoas podem superá-las?

Pessoas acima de 40 anos têm como grande vantagem experiência e paciência, mas o grande problema é que, às vezes, trazem consigo a arrogância e a prepotência por achar que já sabem tudo. Lembre-se que o cenário mudou, e hoje há muita inovação tecnológica; os jovens já nasceram na era da alta tecnologia, portanto, são nativos digitais, e esta é a desvantagem.

Se quer superar isso, se matricule em cursos de atualização tecnológica, participe de seminários e palestras onde estão jovens falando sobre tecnologia e mundo digital e você dará um banho de conhecimento em todo mundo!

Hoje, muito se fala em “trabalho do futuro” ou “empregos do futuro”, mas sempre pensando nas pessoas mais jovens. Quais seriam estes trabalhos para os mais maduros?

Pessoas maduras também podem participar desse admirável mundo novo da tecnologia. Quem mexia com manutenção de carros com injeção eletrônica, deve fazer, o quanto antes, um curso de transmissão elétrica de veículos; se mexia com Departamento Pessoal, deve se atualizar com os novos ERP’s (softwares de gestão empresarial), e assim vai. Só existe uma forma de você fazer parte dessa transformação de empregos futuros: estudando. Conhecimento é a chave do sucesso!

Quais mercados podem crescer com o envelhecimento da população?

Mercado de saúde, pois mais pessoas precisarão de cuidados médicos, alimentação saudável, medicamentos, exercícios físicos e medicina diagnóstica. O mercado de educação para matura idade (entre 40 e 65 anos), como novos cursos de atualização tecnológica, novas formações profissionalizantes e cursos superiores de curta duração.

Mercado de entretenimento mature (entre 40 e 65 anos), com atividades recreativas para pessoas maduras sem muita disponibilidade para viagens, pois ainda continuam na ativa, mas valorizam qualidade de vida.

O que um coach pode fazer por uma pessoa dessas, acima dos 40, que quer estar no mercado de trabalho? No que ele pode fazer a diferença?

Um coach faz toda a diferença. Eu, por exemplo, só atendo pessoas acima de 40 anos que se desligaram de seus empregos anteriores ou se aposentaram e querem continuar produtivas. Juntos traçamos estratégias para a transição, seja para uma nova atividade como empregado ou com empreendedor. Sempre começamos a nova jornada baseada na missão de vida da pessoa ou o que ela pretende deixar de legado.

Nota final: Dica para recomeçar aos 40

Controle o medo do novo, aceite novos desafios com a mente aberta e, acima de tudo, aceite ser liderado por alguém mais jovem, pois a maior causa de fracasso de pessoas que retornam ao mercado de trabalho após os 40 anos é não aceitar isso.

  • Jorge Penillo, conhecido como Doutor Carreira, é coach e mentor de liderança e carreira. Professor universitário e palestrante, tem formação em universidades do Brasil e Estados Unidos. É graduado em Administração de Empresas com pós-graduação em Marketing e Negócios e possui MBA em Estratégia Empresarial com especialização em Neurociências. Começou sua carreira profissional aos 14 anos de idade, em 1986, na Eletropaulo como menor aprendiz, e permaneceu na empresa por 30 anos, passando por várias áreas técnicas e administrativas até 2016. É autor do livro “Iniciando uma carreira brilhante”, que tem o objetivo de orientar os jovens sobre como entrar no mercado de trabalho.

AINDA EM TEMPO: Aconselho, com todo entusiamos, que você dê uma olhada nesse post do Diego, do “Diego disse”, com dicas excelentes para encontrar um novo emprego.

Começar a se exercitar depois dos 40 também faz bem

Homem de mais ou menos 40 anos de idade corre em uma esteira ergométrica em um lugar que parece ser uma academia de ginástica

Para quem nunca foi muito chegado a fazer exercícios sempre vem o pensamento: “se não fiz até agora, é tarde demais para começar”. Engano total! Uma pesquisa publicada na revista científica Jana mostra que se a gente começar a se exercitar aos 40 anos, o risco de mortalidade é reduzido, da mesma forma que se tivesse se exercitado desde a adolescência! Não é incrível?

A Organização Mundial de Saúde recomenda que para pessoas entre os 18 e 64 anos – portanto, a faixa em que estamos incluídos – se pratique, semanalmente, pelo menos 150 minutos de atividades físicas moderadas (parece muito, mas são só 20 minutos por dia!) ou 75 minutos de atividades físicas mais vigorosas por semana (10 minutos por dia). Infelizmente, e tenho até vergonha de dizer isso, estou no time dos sedentários, mas olhando esses dados só consigo pensar: poxa, é tão pouquinho tempo por dia. Dá pra ser, né, gente? Se é pra viver mais com qualidade, vale muito esse esforço! Só um lembrete: consulte um médico antes de começar a se exercitar e faça seus exercícios com orientação de um profissional da área.

Fonte

Longevidade em Exposição

Começa nesta sexta-feira (02/08), no Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro a exposição “Longevidade: os Caminhos para Viver mais e Melhor”. A expectativa de vida aumentou muito nos últimos anos – hoje é de 76 anos de idade, entre os brasileiros – e, por isso, é importante que se discuta como iremos viver e que mundo teremos, já que as pessoas ficam cada vez mais tempo por aqui.

O evento mostra como foi que a humanidade chegou a esse patamar de idade média, as transformações – sociais, tecnológicas etc. – que aconteceram ao longo dos anos e, ainda, como estamos nos preparando e como podemos nos preparar para um futuro com mais idade, tanto em relação à própria saúde quanto no que se refere ao que temos feito com o planeta.

A exposição é interessante a todos, não só aos que têm mais idade – afinal, todo mundo vai chegar lá, né? Além disso, é muito importante saber como se preparar para quando esse momento chegar.

SERVIÇO:

EXPOSIÇÃO LONGEVIDADE – OS CAMINHOS PARA VIVER MAIS E MELHOR

02 DE AGOSTO A 15 DE SETEMBRO

De terça a domingo – 12h às 19h

ENTRADA GRATUITA

Centro Cultural Correios

Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro – Rio de Janeiro

Para mais informações, acesse aqui.