A partir dos 40 anos temos maior amplitude intelectual

Há quem pense que quanto mais idade temos, mais ladeira abaixo vamos. Não é bem assim! Um problema aqui, outro acolá, igual a qualquer fase da vida, mas também temos nossas vitórias. Olha aqui uma delas! O neurocientista, filósofo, neuropsicólogo e psicanalista Fabiano de Abreu afirma que, baseado em dados científicos, aos que chegaram ou ultrapassaram os quarenta anos de idade a amplitude intelectual é maior. 

Ele diz que que o envelhecimento humano depende de vários fatores internos e externos, sobre os quais podemos ter algum poder:

“O envelhecimento humano está sujeito a influências intrínsecas, como a constituição genética individual responsável pela longevidade máxima e os fatores extrínsecos condizentes às exposições ambientais que o indivíduo sofreu (dieta, sedentarismo, poluição, entre outros). A partir dos 40 anos de idade temos o que chamamos de contagem regressiva, quando nossos neurônios começam a morrer e temos o degeneração natural do envelhecimento com a atrofia dos hemisférios cerebrais entre muitos outros fatores. Na juventude estamos formando neurônios e fortalecendo sinapses (impulso nervoso), mas num processo natural de conhecimento, não temos o fator crucial para um intelecto pleno, com o cognitivo desenvolvido para termos uma melhor interação social, aprendizagem e com todas as nuances necessárias para um melhor bem estar”.

Não desanima ainda, gente! O neurocientista também que o auge do saber do ser humano se dá a partir dos 40 anos. “Após os 40 anos temos o que é denominado de Inteligência cristalizada; que está relacionada ao conhecimento que vem da aprendizagem anterior e experiências passadas que resultam em uma melhor compreensão de leitura e vocabulário”. Fatores como maior autocrítica, mais cuidado com o que faz no dia a dia (não se arriscar tanto, por exemplo), experiências já vividas e vocabulário mais rico contribuem para uma maior amplitude intelectual a partir do momento que chegamos à casa dos 40. É isso aí: mais maduros, mais sábios.

Curso online gratuito: Human Hacks – Inteligência Emocional

Imagem: Facebook Slash Education

Se há algo que eu sempre tive em mente é a necessidade de sempre aprender algo novo, em minha área de trabalho ou em algo totalmente diferente, mas que me agregue conhecimentos. Porém, tão importante quanto é incrementar as suas habilidades comportamentais, as chamadas “soft skills”, que, por outro lado, nem sempre encontramos meio de ampliar. Um estudo divulgado em 2019 pelo Fórum Econômico Mundial trouxe as habilidades que tendem a ser mais valorizadas pelos recrutadores das grandes empresas até 2022: Resolução de problemas complexos, Pensamento crítico e análise, Criatividade, Gestão de Pessoas, Inteligência emocional, Originalidade e iniciativa, Orientações para serviço, Coordenação, Negociação e Persuasão e Flexibilidade Cognitiva.

Então se liga nessa oportunidade de dar um salto nessa área: a Slash Education, startup parceira da PUC Paraná, trará o curso Inteligência Emocional, completamente grátis e online, a partir do próximo dia 29 e até 06/07, com cinco aulas dadas por especialistas em diferentes áreas, com temas como “Quer ser mais feliz? Tome decisões” e “Treinamento Mental: para a vida e para a carreira”. O curso terá encerramento em uma masterclass, ao vivo, com o professor, especialista em Educação e CEO da Slash Education, Stephan Younes, além de um convidado surpresa.

Para saber mais e fazer a sua inscrição acesse: https://bit.ly/3dLpr2X

Serviço:

Curso Human Haxx

Inscrições abertas – Acesse https://bit.ly/3dLpr2X

Período: de 29 de junho a 6 de julho

Mais informações no site: www.slasheducation.com.br

Programação:

Aula 1 – 29 de junho 

Apaixonados por problemas

Com Ariane Cereda e Fabio Viviurka

Aula 2 – 30 de junho

Treinamento mental: para a vida e para a carreira 

Com Paula Boarin

Aula 3 – 02 de julho

Quer ser mais feliz? Tome decisões.

Com Tati Sincera

Aula 4 – 03 de julho

Velocidade e Ousadia: desenvolva um mindset ágil

Com Fábio Viviurka

Aula 5 – 6 de julho 

Masterclass, ao vivo

Com Stephan Younes e convidado

Frango xadrez: receita fácil

Foto: Insta @Novos40

Cozinhar nem sempre é uma tarefa prazerosa. Confesso que não sou eu quem domina as panelas todos os dias aqui em casa, mas quando estou no comando, tento fazer algo fácil e gostoso. Meu lifestyle é esse: nada de complicar, porque a esta altura do championship isso não faz o menor sentido, concordam? E foi com isso em mente que cheguei à essa receita de um frango xadrez simplificado. Repara só:

Ingredientes: 500g de filé de frango cortado em cubos; 2 cebolas médias cortadas em cubos; 1 pimentão verde em cubos; 1 pimentão amarelo em cubos; 2 dentes de alho amassados; 1 xícara (chá) de champignon fatiado; 1/2 xícara de água; 1/4 de xícara de shoyu; 1 colher (sopa) de Maizena; 2 colheres (sopa) de amendoim torrado e sem pele; azeite; sal a gosto.

Modo de fazer: Aqueça uma panela com o azeite. Adicione a cebola e o alho e refogue em fogo médio até dourar levemente. Em seguida acrescente os pimentões e o champigon. Cozinhe em fogo baixo por alguns minutos e, então, acrescente o  frango em cubos. Refogue até que o frango fique douradinho e cozido. À parte misture o shoyu, a maizena e a água e misture até o amido de milho (maizena) estar completamente dissolvido. Acrescente essa mistura à panela e cozinhe em fogo médio e mexendo sempre, até formar um molho grossinho. Coloque parte dos amendoins (separe alguns para colocar por cima) na mistura e mexa. Transfira para a travessa de servir e polvilhe o amendoim restante. Pode servir! (depois me contem se ficou bom)

Vocês gostam que eu poste receitas aqui, mesmo sendo um blog com temática “acima dos 40”? Eu posto porque acho que faz parte de um estilo de vida, comum a tanta gente, mas quero saber a opinião de vocês.

Para a ansiedade, respiração

Está sentindo ansiedade? Pare um pouco e faça um exercício de respiração. Ele pode ajudar sua mente e seu corpo a relaxarem um pouco. A respiração consciente, por incrível que pareça, não é algo que a gente costume praticar. Então faz assim: inspire, segura por 7 segundos, expire em sete segundos, segura novamente…e começa tudo de novo. Você pode ter a imagem acima como guia de tempo de respiração. Faça até perceber que está se sentindo melhor.

Depois me conta se funcionou!

Exercícios físicos na quarentena: questão de saúde!

Foto: Freepik

Já fiz várias coisas durante a quarentena, daquelas que são recomendadas: arrumei armários, me desfiz de objetos que não serviam mais, fiz cursos online, estou lendo um livro…mas uma coisa, confesso, não tenho feito: me exercitar – não vou mentir pra vocês. Ok, tenho um problema no quadril direito que dói pra caramba (em tratamento, mas com pausa, por causa do isolamento social), mas sei que há outras coisas que poderia fazer. É preguiça mesmo, shame on me

Então conversei com a profissional de Educação Física, a personal trainer Juliana Nobre, para que ela falasse sobre a importância de se exercitar nesse período e, olha, dá pra se mexer, mesmo morando em lugares pequenos, viu? Dá uma olhada no papo, abaixo!

Continuar com uma rotina de exercícios físicos é importante nesse período em que todo mundo tem que ficar em casa? Por que?

Com certeza. Não podemos dizer que a prática de exercícios físicos vai impedir que você pegue o vírus, porém ,será um grande aliado em amenizar os efeitos e sintomas que ele traz. Ficar parado nessa época nem de longe é uma opção, mas deve ser feito com ajuda de um profissional, principalmente se você não tinha o hábito de praticar anteriormente.*

Não é apenas uma questão de vaidade, né?

Não. Estamos passando por um momento onde não podemos pensar num padrão ótimo e sim, priorizar a sobrevivência. O que quero dizer com isso?  Com a quebra de rotina, com certeza seu corpo vai mudar,mas o que estamos buscando agora é nos manter saudáveis, vivos. A imunidade , o movimento e não menos importante, a saúde mental, devem ser o foco nesse período de quarentena.Tudo isso é possível com a ajuda dos exercícios físicos.

Isto significa que ir para uma academia é mesmo fundamental? Por que? 

Não. O que é fundamental é praticar exercícios físicos. Até porque, a maioria dos praticantes de exercícios físicos não está nas academias. Apesar de encontrarmos estes lugares cheios em muitos momentos, muita gente opta pelos exercícios ao ar livre, por exemplo.

A academia é sim, um local de acesso à prática, onde contamos com mais estrutura e ainda socializamos, mas podemos nos adaptar nesse momento onde a prioridade é diminuir os riscos de contaminação e propagação do vírus. 

Dá pra ter uma rotina de exercícios mesmo que a pessoa more em um lugar pequeno (levando em conta que nem exercícios ao ar livre serão permitidos com o lockdown)? O que ela pode fazer (que exercícios podem ser feitos)? 

Dá sim.  Os treinos que utilizam apenas o peso do corpo são os mais praticados em casa. Os adeptos à academia são os que mais sentem a necessidade de ter alguns materiais, então improvisam com objetos  domésticos como  cadeiras, sacolas com peso, cabo de vassoura , entre outros.

Deixa pra gente uma dica saudável para esse período de quarentena. 

“A dica que deixo para quem quer se exercitar no período de quarentena, independente da idade: Procure a ajuda de um profissional de educação física. Não tente copiar treinos aleatórios . Se você é sedentário, nunca treinou ou está há muito tempo parado, escolha atividades físicas como arrumar um armário, dançar, fazer pequenas caminhadas na casa. Saia do sofá! Para quem já  treina , opte por treinos moderados, nada de intensidade muito alta. Precisamos nos manter saudáveis, sem lesões e com a mente tranquila.

Crie uma rotina e inclua os exercícios nela. Meia horinha já vai cumprir seu papel e os efeitos serão percebidos em pouco tempo. Não estou falando sobre corpo sarado, estou falando sobre bem estar”.

Bem, depois de tantos conselhos e indicações, só me resta tentar, né? Pro meu próprio bem. Vambora? Quem quiser saber mais sobre exercícios ou contratar Juliana Nobre, dá uma olhada e entra em contato pelo Instagram: /juhnobrepersonal/.

Receita: Crumble de maçã com sorvete de baunilha

Nesses dias de isolamento em casa vez ou outra me arrisco em uma receita. Neste último domingo, do dia das mães (eu e ela  moramos juntas, o que torna o isolamento social mais fácil), preparei um verdadeiro banquete pra ela, com uma sobremesa bem gostosinha. Fiz uma receitinha bem fácil, pra acompanhar o sorvete de baunilha da Frisabor (não é #publi, eu realmente gosto dos sorvetes de lá), que havia comprado. Um crumble de maçã (que pode ser pêra…não testei com outras frutas, mas acho que dá certo com um bocado). Vê que facinho:

Eu pego uma xícara de farinha de trigo, misturo com quase uma xícara de açúcar (é que já me disseram que é pra usar meia xícara, mas eu coloco praticamente uma inteira mesmo rs) e uns 100g de manteiga gelada, em pedacinhos (se a receita ficar muito seca, coloca mais um tiquinho). Misturo tudo com as mãos mesmo até ficar como uma farofa úmida. Então eu misturo com duas maçãs (ou uma maçã e uma pêra,ou duas pêras…enfim…vc entendeu) cortadas em pedacinhos (não precisam ser minúsculos, senão vão sumir). Neste momento você pode também misturar um pouco de passas ou algo assim – eu coloquei granola, pra dar um crocante a mais e porque eram as únicas passas que tinha em casa (eu amo e acabo lanchando tudo rs). Então eu coloco em uma fôrma de vidro untada (pirex, minha gente! Aqui todo mundo tem idade pra saber o que é uma pirex hahaha) metade da “farofa”, coloco as maçãs e depois cubro com o resto da farofinha. Pra garantir que ficará firme, coloco uns pedacinhos de manteiga soltos por cima da “torta”. Aí levo ao forno por 20 minutinhos, só pra farofa grudar um pedaço no outro e pronto! É ótima pura, mas fica ainda melhor acompanhada de um sorvete de creme ou de baunilha – como já disse, esta foi minha escolha de hoje: baunilha, da Frisabor.

Então é isso. Curtiu essa receita fácil e rápida de sobremesa? Se fizer, me conta como ficou e se gostou!

P.S. já tem gente rindo da minha “taça” da Duralex…tá bom, tá bom, preciso de umas taças novas hahaha…mas minhas vintage também vão continuar.

Rugas, anti-rugas e pró-rugas

Já até virou uma brincadeira entre algumas amigas e amigos meus: é comum que, quando alguém faz aniversário, uma pessoa diga “continue caprichando no Renew”, em referência ao produto antirrugas da Avon, super conhecido e, dizem, de ótimo resultado (eu usei há muito tempo, mas parei, então não sou boa pra dar esse testemunho).

Anti-rugas

E você, usa algum produto para tirar essas famosas marquinhas do seu rosto? Atualmente tenho usado o anti aging Effaclar Serum Lissant, da La Roche Posay. Faz pouco tempo, mas já sinto que a pele tem apresentado menos marcas – colaborando, nesse processo, o protetor solar e o fato de estar levando menos sol do que costumeiramente. Existem outros produtos e procedimentos no mercado para tirar ou, ao menos, amenizar as rugas – taí o botox, querido de tantos.

Rugas

Mas, entre minhas rugas, há algumas que eu digo “deixa aí”. Algumas marcam mesmo a passagem do tempo e me mostram que já sou uma pessoa com alguma experiência de vida. Outras, mostram preocupações – as muito sérias, talvez eu queira apagar. Outras, daqueles momentos em que me aperreei sem razão, também acho melhor apagar, pois meu rosto não as merece – e vou tentar de lembrar isso cada vez que um aperreio bobo quiser me pegar.

Pró-rugas

Mas uma coisa é certa: não vou apagar aqueles pequenos vincos formados pelas gargalhadas que dei até chorar, de quase fazer xixi na calça, dos momentos de alegria. O emprego novo, naquele lugar que você queria tanto trabalhar; uma “piada interna” entre você e amigos próximos; viver uma grande paixão…são tantos os motivos que fazem a gente sorrir largo e trazem rugas pra gente. Aí é só uma questão de escolha: você prefere que elas continuem em seu rosto, lembrando que, ao longo de sua vida, houve muitos momentos de felicidade ou acha melhor ficar com a pele lisa, incólume, como se nada a ser celebrado tivesse acontecido?

Pílulas de Elegância

Vocês têm algum amigo que se destaca pela elegância, mas que seja assim, tão ligado a questões do tipo “como se vestir para tal lugar”, “qual tipo de relógio usar em determinada ocasião” ou mesmo “tipos de faca”? Eu tenho. Ele é o José Pinteiro Bisneto, advogado, um daqueles homens inteligentes, que sabe conversar sobre praticamente todo assunto que venha à baila. 

Ele tem feito threads (“segue o fio!”) no Twitter, sobre diversos assuntos de que tem muito conhecimento. Então conversei com ele e resolvi trazer o conteúdo que ele posta pra cá, pra enriquecer o blog e, principalmente, compartilhar um conhecimento que é bacana pra todos. 

Talvez você ache algumas coisas meio “elitistas”, um exagero ou tenha a sensação de “isso não é pra mim”. Mas confere aí que sempre tem algo a se aproveitar. 

Vou começar pela thread mais geral, que fala justamente sobre elegância masculina. Mais uma vez: segue o (longo, mas bem bacana) fio! 

  1. As únicas jóias que um homem elegante pode usar são relógio e aliança de casamento. Nada de cordões, pulseiras (salvo se você for o Jack Sparrow) ou outros anéis;
  2. Corte o cabelo todo mês;
  3. Só use chinelos se estiver indo para a praia, piscina ou rios, ninguém quer ver seus pés;
  4. Camisas sociais não devem ter bolsos ou botões para prender a gola;
  5. Meias “descoladas” não são descoladas;
  6. A barra das calças deve encostar no topo dos seus sapatos, se encostar no solado ou no chão está muito longa, se não chegar no sapato, muito curta;
  7. Se você usa barba ou bigode, deixe claro que a aparência deles foi conseguida de propósito;
  8. Se faz a barba, o faça TODO SANTO DIA;
  9. Não use nada cuja marca possa ser identificada a mais de 5m de distância;
  10. A não ser que você seja um piloto alemão na segunda guerra mundial, não use relógios com diâmetro maior que 42mm;
  11. Por falar em relógio, se for usar um relógio com camisa social, se certifique que ele passa por baixo do punho da camisa;
  12. Ainda sobre relógios: você usaria um capacete ou pé de pato com paletó? Então não use um relógio de mergulho ou corrida com roupas sociais;
  13. Seguindo a mesma lógica do item 12: só use tênis de corrida para correr ou ir para a academia;
  14. Sempre que comprar uma peça de roupa nova, doe uma equivalente de roupa velha;
  15. Doe todas as peças de roupa que faz mais de um ano que você não usa;
  16. Doe todas as peças de roupa que não cabem em você;
  17. As meias podem combinar com o sapato ou com a calça, mas você fica mais elegante quando elas combinam com a calça;
  18. Ainda no quesito sapato: pelamordedeus sapatênis não;
  19. Nada de sapatos de bico quadrado, com fecho em fivela ou com brogue (aqueles furadinhos decorativos de sapatos sociais);
  20. Botas de construção, escalada, galochas e assemelhados são EPI (equipamento de proteção individual), só use por obrigação;
  21. Calças e bermudas cargo também são EPI;
  22. Se não for correr ou pular, não faça academia com tênis de corrida, mas com um tênis de sola reta e firme;
  23. As mangas das camisas de malha e camisas polo devem encostar ligeiramente no seu braço, se elas ficarem coladas no braço estão apertadas, se o braço ficar sambando dentro da manga, estão folgadas;
  24. Camisas, calças e bermudas devem ter uma folga de 2 dedos de cada lado do tronco (camisas) ou do meio da coxa (bermudas e calças);
  25. Use roupas adequadas para o clima (ex: nada de touca nos trópicos, roupas escuras no sol etc);
  26. A não ser que você tenha 18 anos (e olhe lá) nada de jeans rasgados ou superdesbotados;
  27. Calças supercoladas só se for para uma apresentação de balé ou competição de ciclismo;
  28. Jogue fora as suas cuecas e compre novas pelo menos uma vez por ano;
  29. O mesmo para as meias;
  30. Quando der o futum na roupa da academia está na hora de dar fim nela, aquilo não sai de jeito nenhum
  31. Por falar em futum, cuide muito bem da higiene pessoal, todo mundo ama pessoas limpas, asseadas e cheirosas;
  32. Mas, pelo amor do monstro voador de espaguete, não tome banho de perfume;
  33. Nenhuma dessas regras é lei, sinta-se livre para não segui-las de vez em quando.

Curtiu? Diz aí se gostou! Amanhã eu publico a segunda parte desse fio mais geralzão e depois trago as listas mais específicas, sobre relógios, facas de cozinha e tudo mais. Então tá combinado! E, lembre-se: não são regras, mas sugestões e a principal delas, você já sabe: mantenha o bom humor, inclusive ao ler nossos posts. 

Livro: “40 antes dos 40”: uma jornada!

Não, ainda não li. Começo logo dizendo, pra ninguém procurar a minha opinião sobre o livo “40 antes dos 40”, da escritora Silvinha Mantovani. Mas estou super curiosa, confesso. Veja só, Silvinha passou por momentos bem conturbados em sua vida: precisou fugir de um ex-companheiro que ameaçava a ela e a sua família de morte.

A paranaense morava na Espanha na época, para onde inicialmente havia ido para fazer um Mestrado. Deixou quase tudo que possuía para traz e foi para a casa de amigos, em outro país. Em dúvida do que faria dali pra frente, definiu que era o momento de realizar um sonho: conhecer 40 países antes de fazer 40 anos. E realizou! Depois colocou no livro a sua experiência, o que viu pelo caminho e o tanto que aprendeu. Sobre o livro, a autora diz que “O objetivo maior é ajudar outras mulheres a sair dessas relações venenosas; seja através do ato de viajar, de estudar, mudar de emprego ou o que mover seu coração”.

Quero ler DJÁ! O livro está à venda por 49,90.

Quarentena: o que fazer quando não se pode sair de casa?

Estamos vivendo dias atípicos. O coronavírus virou pandemia e aqui no Brasil, como em outros lugares, estamos em isolamento social, em uma tentativa de não espalhar ainda mais a covid19. O resultado, para muitos, é de ansiedade lá em cima ou de tédio, preocupação em ocupar o tempo enquanto se está em casa. Visitei vários sites, blogs e redes sociais e trouxe uma listinha de coisas para você se dedicar nesse período, porque ficar 100% do tempo apenas apreensivo não é bom para ninguém, correto?

Então segue aí:

Bem, por enquanto é só. À medida que eu souber de mais coisas online, gratuitas e bacanas, vou adicionando à lista, certo? De resto, já sabe: arrumar gavetas, papear online com amigos, se divertir com os memes, enquanto se informa. Tudo para garantir que estejamos informados, mas com a mente de boas.